Quarta, 19 Julho 2017 00:00

Coleta Seletiva patrocinada para condomínios residenciais

A lei n° 12.305/10, nomeada de Política Nacional de Resíduos Sólidos, foi sancionada no ano de 2010, com o objetivo de melhorar e padronizar a gestão de resíduos no Brasil.

Um dos pontos principais da lei é a obrigatoriedade por parte dos fabricantes de realizar a Logística Reversa [definida, a grosso modo, como uma série de procedimentos voltados a reinserir materiais utilizados na cadeia produtiva]. Com isso, foram criados os acordos setoriais que instituem metas para os mesmos. No caso de 2017, 22 % das embalagens colocadas no mercado deveriam ser destinadas à reciclagem ou algum modelo de reaproveitamento em seu ciclo de vida.

Para atender à meta, os fabricantes analisam alternativas para essa compensação como investimentos em cooperativas de reciclagem; pontos de entrega voluntária (Ex: Pão de Açúcar-Unilever); desenvolvimento de novas embalagens e etc.

Analisando essas demandas, o Instituto Muda, que já tem grande experiência com a implementação de Coleta Seletiva em condomínios residenciais [Mais informações ao final deste texto], criou em 2015 um projeto chamado Adote um condomínio. Através deste projeto, o Instituto Muda procura interligar os fabricantes com os edifícios que precisam da Coleta Seletiva, porém, que não possuem condições financeiras para investir no sistema.

As grandes indústrias de higiene pessoal, bebidas e alimentos patrocinam a implementação (projeto, treinamentos aos moradores e funcionários, comunicações e relatórios) e os contêineres para armazenamento de recicláveis, que acabam destinados aos condomínios em forma de comodato. Do outro lado, o condomínio paga somente a operação (coleta). Todos os materiais recicláveis do prédio são destinados como doação às cooperativas de baixa renda, que cederão os créditos de logística reversa aos fabricantes.

Essa é uma nova alternativa de custo-benefício para os síndicos não dependerem de catadores e empresas informais que bagunçam e desorganizam muitas vezes os resíduos do condomínio, coletando apenas os recicláveis de maior valor agregado.

No projeto, além de os recicláveis básicos serem recolhidos (papel, plástico, metal, vidro e embalagem longa-vida) os especiais também tem uma destinação correta tais como pilhas e baterias, cartuchos de impressora, roupas para doação, eletrônicos e óleo de cozinha.

Para participar e solicitar uma proposta comercial, é necessário enviar um email para: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. ; ou ligar para o número (11) 3881-6035/6017.

Sobre o Instituto Muda

O Instituto Muda é uma empresa criada em 2009, ganhadora de diversos prêmios nacionais e internacionais, considerada pelo Ministério do Meio Ambiente uma referência em Educação Ambiental para a Gestão de Resíduos. Já fez a implantação de sua metodologia em mais de 150 condomínios; conscientização e treinamento de mais 40 mil famílias e 50 mil pessoas; reciclagem de mais de 8 mil toneladas de material reciclável; geração de renda total de R$ 1.250.000,00 a oito (8) cooperativas de reciclagem da cidade de São Paulo, beneficiando diretamente cerca de 200 famílias de cooperados e, indiretamente, 800 pessoas.

Serviço - Mais informações:

www.institutomuda.com.br

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Tel.: (11) 3881-6035/ 3881-6017

 

Por: Alexandre Furlan Braz

Alexandre Furlan Braz é graduado em Gestão ambiental pelo Centro Universitário Senac, de São Paulo; pós-graduado pela Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM) em Gestão de projetos e liderança de equipes; Master em conforto ambiental pela Ong ANAB; e possui mais de 300 horas de cursos específicos em sustentabilidade e empreendedorismo. Em 2009, fundou o Instituto Muda, empresa esta que trabalha com gestão de resíduos em prédios da cidade de São Paulo.