Instalação Elétrica

Ao realizar ampla perícia em um condomínio de uma torre e 27 anos, os engenheiros Marcus Grossi e Florence Grossi observaram, na parte elétrica, grau de risco crítico no centro de medição em relação a itens como ausência de orientação de saída de emergência e de luminária de emergência; medidores sem lacre; disjuntores sem proteção acrílica nas partes “vivas” (energizadas); fiação rígida deteriorada; mancha de infiltração; e fissuras na parede (internas e externas). Consideraram ainda de risco médio o quadro de disjuntores e medidores com sujidade e oxidado.

O engenheiro eletricista e síndico Carlos Reganati desenvolveu um breve "guia" aos seus colegas gestores, mostrando como usar diferentes versões de lâmpadas LED para substituir halógenas dicroicas, incandescentes, compactas eletrônicas de rosca e fluorescentes tubulares. Carlos Reganati atua à frente do Condomínio Castel de Padova, localizado em Perdizes, São Paulo (SP), aonde vem promovendo gradualmente a substituição das lâmpadas, conforme relata abaixo e também na reportagem da edição de abril da Direcional Condomínios.

A necessidade de racionalizar o uso dos recursos naturais no Brasil atinge hoje também o setor energético. Juntamente com a água, a eletricidade tornou-se bem nobre, demandando valorização e economia. O passo inicial de muitos condomínios para atingir a meta de redução do consumo é providenciar o retrofit de suas instalações, por onde evitarão, por exemplo, fuga de energia. A segurança entra como outro quesito importante nesse tipo de obra.

“Quão grosso um fio deve ser para ligar um equipamento no prédio, no apartamento?”

“Você sabia que a instalação elétrica também envelhece? Pois é, essa estrutura é formada por componentes, que sofrem com a ação do tempo. Sofrem de diversas maneiras.”

"Fio Terra, o cinto de segurança da sua instalação elétrica , pois atua para proteger as pessoas e animais de acidentes."

Sem dúvida, as cercas elétricas são o equipamento mais utilizado na proteção aos perímetros dos condomínios. Consideradas um meio confiável, seguro e econômico para aumentar a proteção do imóvel, normalmente são instaladas sobre muros ou grades que cercam o imóvel. Porém, há particularidades que devem ser levadas em conta no projeto e na instalação, como a proximidade dos fios nas áreas de piscina, quadras de esportes e outros espaços de lazer dos edifícios.

Uma pesquisa realizada pelo o Procobre - Instituto Brasileiro do Cobre, em parceria com a USP, FAAP, Universidade Mackenzie, Instituto de Ensino São Caetano do Sul e Senai, mostrou que é alarmante a falta de segurança nas instalações elétricas residenciais em São Paulo. Por falta de conhecimento da população e pela ausência de fiscalização, são utilizados produtos de baixa qualidade, que não seguem as normas de segurança.

Há pelo menos 1500 normas técnicas relacionadas à área eletroeletrônica no País, além de leis e regulamentações sobre a oferta de energia. Veja o que é preciso para garantir a segurança e a eficiência do serviço em seu prédio.