Entrevista: Modernização do fitness exige que síndicos apostem em equipamentos profissionais

Escrito por 

COMO INVESTIR NA MODERNIZAÇÃO

As academias dos condomínios costumam dispor de esteiras, bicicletas, espaldar, elíptico, estação de musculação, bancos inclináveis, pesos e colchonetes, além de acessórios diversos (bebedouro, espelho, aparelhos de tevê etc.).

Na parte dos equipamentos, o mercado vem segmentando e especializando os aparelhos para funções bem específicas, desconhecidas por leigos. Por isso, a Direcional Condomínios entrevistou profissionais de duas das principais redes de academias do País, que se dispuseram a orientar os síndicos que pretendem modernizar a área de fitness.

ENTREVISTA 1 – THIAGO SOMERA

“FUJAM DE EQUIPAMENTOS SEMIPROFISSIONAIS”

Diretor de Infraestrutura da Rede Smartfit, administrador de empresas com passagens em um fabricante de máquinas do setor, Thiago Somera está há 15 anos no mercado e gerencia hoje mais de 300 unidades do Grupo Bio Ritmo - Smart Fit na América Latina. Segundo ele, mesmo entre os condomínios, o mercado deve atender aos “usuários avançados”. Confira a seguir uma síntese de sua entrevista.

DEMANDA NOS CONDOMÍNIOS

Houve nos últimos anos maior fragmentação de ofertas e de serviços nos fitness centers. Há condomínios entregues em uma configuração mais básica (com esteiras, bike, multiestação e espaldar), mas também existem aqueles que oferecem ainda serviços de personal trainer e atividades outdoor na área comum. Isso acaba atraindo mais interessados e uma frequência maior no fitness center. [academia]

CONFIGURAÇÃO BÁSICA

É preciso conhecer a realidade e o objetivo de cada condomínio, além do espaço e orçamento disponíveis. Mas hoje se pode fazer muita coisa com o uso de pequenos acessórios para exercícios funcionais e ‘calistênicos’ [baseados no peso do próprio corpo], por exemplo. Em geral, não se recomendam máquinas secundárias, pois os equipamentos não atenderão aos usuários avançados.

ESTEIRAS

É fundamental fugir de equipamentos ‘semiprofissionais’, pois a economia feita na compra retorna como custo de manutenção dentro do período de vida útil do produto. Invista em modelos de esteiras amplamente utilizados em academias de ponta. De outro lado, existe um claro movimento de utilização de equipamentos cardiovasculares de baixo impacto, como os elípticos. Isso, além de aumentar a variação de exercícios oferecidos, diminui o total investido dentro do projeto.

USO E MANUTENÇÃO

Condomínios devem ter em mente que a academia tem custos de manutenção, assim como elevadores e piscinas. Isso deve ser considerado sempre na decisão de compra. Negociar isso com os fornecedores no ato da compra lhes dará mais segurança e tranquilidade na gestão de toda a academia.

 

ENTREVISTA 2 – FELIPE MANOEL

INCREMENTO DO ESPAÇO DEMANDA APOIO AO USO

Também com bastante experiência em fitness, o administrador Felipe Manoel (Foto acima), gerente de musculação da Cia Athletica (Unidade Anália Franco, Zona Leste de São Paulo), complementa abaixo as dicas aos síndicos.

UPGRADE

Atualmente, além dos equipamentos básicos, uma área fitness bem equipada conta com máquinas de musculação similares às das academias externas, além de espaço para treinamento funcional, tatames, salas de ginástica e de lutas e, em alguns casos, até sala de spinning [treinamento cardiovascular praticado sobre bicicleta estacionária]. Acessórios como bolas (tipo medicine ball [pesadas]), elásticos e bosu [uma espécie de meia bola de pilates] também são encontrados. Outra novidade é a presença de profissionais de Educação Física nesse espaço, pois esse tipo de equipamento e acessórios exige pessoa habilitada para a prescrição dos exercícios.

O QUE ESCOLHER?

Depende do número de usuários e do perfil do público. Por exemplo, se houver predomínio de adultos, são indicados equipamentos que oferecem mais possibilidades de exercício, como máquinas de cabos e acessórios livres. Já se a maior parte dos usuários for de mais idade, o uso de máquinas guiadas surge como boa opção. Mas uma boa seleção de máquinas deve possibilitar exercícios que trabalhem os membros superiores, inferiores e o tronco. Dentre estas escolhas, aquelas que envolvem mais de uma articulação durante a sua execução são mais indicadas, pois geram um consumo calórico mais alto (como leg press, máquinas de agachamento, de empurrar vertical e horizontal, remadas, puxadas verticais e horizontais). Importante considerar ainda as máquinas para os trabalhos abdominais. Quanto às esteiras, a linha profissional suporta de forma excelente o uso contínuo. Recomenda-se equipamento com velocidade de até 20KM/h e com opção de inclinação.

A QUEM RECORRER?

Procurem sempre empresas especializadas em gestão de fitness, desde o projeto inicial até a operacionalização das atividades. Este caminho é o melhor e mais seguro para entregar aos condôminos uma excelente opção de lazer dentro de suas casas.

Matéria publicada na edição - 218 - nov/16 da Revista Direcional Condomínios

Não reproduza o conteúdo sem autorização do Grupo Direcional. Este site está protegido pela Lei de Direitos Autorais. (Lei 9610 de 19/02/1998), sua reprodução total ou parcial é proibida nos termos da Lei.