Retrofit total no Condomínio Anita (SP): A narrativa de uma longa 'gestação', administrada pelo síndico Roberto Piernikarz

Escrito por 

O Condomínio Edifício Anita nasceu em 1963, na região da Avenida Paulista, em São Paulo, com apenas parte do projeto original executado.

O síndico Roberto Piernikarz (À esq. na foto) e o Eng. Civil Jorge Cardoso Correia. Projeto original (Maquete) previa duas torres a mais

Ele teria três torres, mas só a maior, do fundo, foi construída. Mesmo assim, o edifício chegou em alto estilo com suas 52 amplas unidades residenciais avarandadas, apresentando inovações para a época, como o sistema de aquecimento central de água e gerador.

Declínio – Décadas se passaram e a região do prédio se transformou em um dos mais importantes centros financeiros e de serviços do País. Neste longo período o Anita “viveu” na inércia, recebendo poucos serviços de manutenção e/ou modernização.

Suas instalações começaram a dar sinais de desgastes com riscos aos moradores, como queda de revestimentos cerâmicos da fachada, além de um incêndio no sistema de aquecimento central, que era a diesel.

Renascimento – A “inércia” se transformou em precariedade e obrigou condôminos, corpo diretivo e a administração a agirem. Roberto Piernikarz, diretor de condomínios, assumiu em 2011 como síndico do prédio, auxiliado por uma equipe de 11 subsíndicos e uma comissão de obras. Havia muito trabalho a ser feito, do topo do edifício ao subsolo, setores que passaram por recuperação estrutural.

O balanço dos serviços realizados até o momento inclui: Adequações para o AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros), com a instalação de uma rede de hidrantes contígua à escadaria em leque do edifício, além de bomba de incêndio; nova prumada e medidores de gás; troca do gerador e do sistema de aquecimento central de água, agora com caldeiras a gás; retrofit elétrico (novas prumadas e centro de medição); reforma do antigo apartamento do zelador, que deu lugar ao refeitório e vestiário dos funcionários; reparos diversos; além de intervenções de emergência na fachada, eliminando-se pontos com desplacamento.

No momento, o condomínio encontra-se às voltas com retrofit hidráulico, afirma o engenheiro civil Jorge Cardoso Correia, contratado pela gestão para acompanhar todos os trabalhos. A conta? Segundo o balanço do síndico Roberto Piernikarz, já foram gastos cerca de R$ 2,6 milhões.

Novas etapas – Fachada, portaria, sistema de controle de acesso, gradil, acessibilidade, jardins, hall social: A lista das intervenções previstas e necessárias segue elástica e deverá ser executada em etapas. Segurança e acessibilidade virão primeiro, depois a nova fachada. Aqui o processo é tão complexo e caro, que a contratação de um pré-projeto básico junto a um dos principais escritórios de arquitetura de São Paulo foi aprovada em assembleia, mas suas linhas gerais são mantidas em reserva. De certo, revela-se que haverá troca do revestimento cerâmico e esquadrias e que a portaria poderá seguir o desenho original do empreendimento, ficando no centro do terreno.

“Retrofit financeiro” – “Estamos há seis anos arrecadando dinheiro extra e este Fundo de Obras vai continuar por mais seis”, resume o síndico Roberto Piernikarz, ao explicar como os investimentos têm sido viabilizados. De outro lado, houve uma reorganização financeira do condomínio, a qual possibilitou, inclusive, diminuir a taxa do rateio ordinário em quase 9% neste ano, afirma. O síndico destaca também a importância de ter havido um laudo de inspeção predial como ponto de partida, pois este definiu urgências e ajudou a planejar as obras. No horizonte, Roberto prevê a necessidade de se investir mais R$ 3,2 milhões, verba aprovada em assembleia e que, espera-se, seja suficiente para concluir o renascimento do Anita.

Cobertura impermeabilizada sobre salas comerciais e portaria, preparada para receber um “telhado verde”; sistema de hidrantes implantado no edifício. “O AVCB saiu em julho de 2016 depois de 60 anos! Fizemos até festa”, diz o síndico Roberto Piernikarz

Matéria publicada na edição - 227 de setembro/2017 da Revista Direcional Condomínios

Não reproduza o conteúdo sem autorização do Grupo Direcional. Este site está protegido pela Lei de Direitos Autorais. (Lei 9610 de 19/02/1998), sua reprodução total ou parcial é proibida nos termos da Lei.