Planejando a gestão do condomínio: Organize os investimentos em obras e serviços

Escrito por 

Colocar a manutenção preventiva e corretiva em dia possibilita ao síndico diminuir custos no médio e longo prazo, ao eliminar a necessidade de obras complexas e vultosas no futuro, e a viabilizar melhorias (como a modernização das instalações).

O segredo está no planejamento.Colocar a manutenção preventiva e corretiva em dia possibilita ao síndico diminuir custos no médio e longo prazo, ao eliminar a necessidade de obras complexas e vultosas no futuro, e a viabilizar melhorias (como a modernização das instalações). O segredo está no planejamento.

A estratégia tem sido adotada por muitos síndicos, através de processos de planejamento da gestão. O síndico profissional Roger Prospero, por exemplo, organiza um plano plurianual de investimentos, separado do cronograma da manutenção. Ambos são precedidos de um balanço do exercício anterior, por meio do qual é possível “prever problemas futuros”. Mas nada impede que novos itens sejam introduzidos ao longo do ano, conforme as demandas surjam.

Também os síndicos orgânicos Paulo Paleari e Kelly Remonti, respectivamente à frente dos condomínios San Marino (em São Paulo) e Top Village (em Alplhaville/ Barueri), trabalham com planejamento de curto a longo prazo. Paleari costuma elencar as necessidades do prédio em uma planilha, por meio da qual estabelece as prioridades. Com isso, no prédio de quase 20 anos e 64 unidades, onde atua há cinco anos na função, Paleari executou inúmeras melhorias, como as reformas da guarita e brinquedoteca, feitas em 2017. E, para esse ano, entre vinte demandas identificadas, as prioridades recaíram sobre a renovação do AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros) e a pintura da fachada.

Por fim, o síndico profissional Paulo Mujano costuma atuar com base em um Plano Diretor do Condomínio, modelo que a Direcional Condomínios publica, de maneira sugestiva, nesta nova seção. Cada gestor possui uma metodologia própria de trabalho. O importante, segundo Mujano, é compreender que “o planejamento viabiliza serviços e obras”. “Ele permite observar as reais necessidades do condomínio, rever prioridades, cortar custos excedentes e até gerar mais recursos.” Por exemplo, depois de resolver um problema antigo de queimas sucessivas dos inversores de frequência dos elevadores em um dos prédios que hoje administra, Paulo conseguiu baixar o valor do seguro (Aqui, o custo total de serviços mensais caiu 66% no período de um ano).

PLANO DIRETOR DO CONDOMÍNIO - PDC

AÇÕES Evitar fazer investimentos por "necessidade"
Viabilizar recursos pela queda dos custos de manutenção
OBJETIVOS Suprir o condomínio da infraestrutura inexistente, recuperar etc.
Estabelecer ações de curto, médio e longo prazo
ETAPAS DO PDC 1. Especificar custos;
2. Definir prioridades;
3. Estabelecer Plano de Investimentos (Com verba e cronograma)

CRONOGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DO PDC

ETAPAS JANEIRO FEVEREIRO MARÇO ABRIL JUNHO*
1. Coleta das informações
(Custos etc.)
x        
2. Definir
prioridades
  x      
3. Ver problemas
e soluções
  x      
4. Levantamento
técnico/orçamentos
x x x    
5. Elaborar minuta
do PDC
      x x
6. Formalizar Plano Anual de
Investimentos e Orçamentos
      x x
Síndico

*A programação vai na sequência até o final do ano Baseado em modelo desenvolvido pelo síndico Paulo Mujano / O início do cronograma não precisa ser necessariamente em janeiro. O gestor pode antecipar as etapas para que no mês de fevereiro, por exemplo, consiga formalizar o Plano Anual de Investimentos e Orçamentos


Matéria publicada na edição - 231 - fevereiro/2018 da Revista Direcional Condomínios

Não reproduza o conteúdo sem autorização do Grupo Direcional. Este site está protegido pela Lei de Direitos Autorais. (Lei 9610 de 19/02/1998), sua reprodução total ou parcial é proibida nos termos da Lei.