Especialista em segurança do trabalho recomenda treinamento mínimo às equipes terceirizadas

Escrito por 

Graduado em Segurança do Trabalho e Administração, o consultor João Carlos Tobias anota que a revolução tecnológica tem exigido profissionais cada vez mais preparados, os quais devem ser treinados e atualizados pelas prestadoras de serviços, de maneira a evitar riscos de acidentes de trabalho. João Carlos atuou na Polícia Científica do Estado de São Paulo por 37 anos.

Segurança do Trabalho

O consultor de Segurança do Trabalho, João Carlos Tobias

Ele recomenda, a seguir, treinamentos e/ou qualificações que considera importantes para as três funções principais nas operações diárias do condomínio:

- Zelador

Deter conhecimentos e, quando for o caso, formação técnica nas áreas de manutenção elétrica e hidráulica, sistemas de prevenção contra incêndio, portaria e controle de acesso, sistema de CFTV e segurança do trabalho. “O mesmo deve possuir um perfil de liderança, uma vez que terá sobre sua orientação e controle os demais funcionários.” João Carlos destaca ainda que o zelador deve estar preparado para fornecer ao síndico, periodicamente, um relatório de vistoria, “informando a situação do condomínio de forma técnica e objetiva”;

- Porteiro

Além da formação em controle de acesso, sistema de CFTV, sistema de prevenção contra incêndio, segurança patrimonial e de segurança do trabalho, precisa dispor de atributos como facilidade no relacionamento interpessoal, postura, raciocínio rápido, agilidade e capacidade de decisão, “uma vez que é colocado em situação de grande pressão para liberar ou não pessoas estranhas ao condomínio”;

- Profissionais da limpeza

Sob sua função, reside a responsabilidade de garantir a higiene e a “apresentação do condomínio na condição de conservação”. Eles devem estar preparados para desenvolver suas tarefas em função da rotina do prédio, observando cronograma de trabalho e escala a serem disponibilizadas pela empresa, em acordo com o síndico e o zelador. “É importante ainda que tenham formação em segurança do trabalho e uso adequado de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) por tipo de tarefa a ser executada, quando em exposição a riscos ambientais”, aponta o consultor. João Carlos lembra a necessidade de que estejam preparados para situações que envolvem incêndio e para o uso racional de material de limpeza. “Cabe salientar que, principalmente para o zelador e profissionais de portaria, é essencial o conhecimento em informática, para que possam operar com toda tecnologia instalada em condomínio. Todas as citações acima deverão ser analisadas quando a contratação de profissionais de empresas terceirizadas, fazendo parte de seu curriculum vitae.”

João Carlos reitera que “as empresas terceirizadas têm que manter no mercado profissionais constantemente atualizados e reciclados para as suas funções e, independentemente do currículo de cada um, eles devem ser treinados e integrados ao condomínio a que estão destinados, pois as edificações oferecem estrutura física e rotinas de trabalhos diferenciadas”.


Matéria publicada na edição - 234 - maio/2018 da Revista Direcional Condomínios

Não reproduza o conteúdo sem autorização do Grupo Direcional. Este site está protegido pela Lei de Direitos Autorais. (Lei 9610 de 19/02/1998), sua reprodução total ou parcial é proibida nos termos da Lei.