Modernização de Elevadores

Quando assumiu o cargo de síndica há cinco anos do Condomínio Edifício The Point, em Moema, área nobre da zona Sul de São Paulo, a administradora Rosa Braghin arregaçou as mangas e fez um checklist de todos os sistemas e acabamentos que demandavam reparos e modernização. Não era pouca coisa: na cobertura, por exemplo, havia necessidade de troca da piscina, reconstrução do solário e impermeabilização, entre outros. Também houve necessidade de intervenções no térreo, nas garagens e nos dois elevadores.

Um morador preso dentro do elevador em plena noite de réveillon foi a "gota d'água" para que o síndico Marcelo Miake, do Edifício Ilha de Saint Martin, na Vila Mariana (zona Sul de São Paulo), decidisse reformular a casa de máquinas do equipamento. Instalados há 25 anos, idade do prédio, os elevadores locais nunca haviam passado por modernização, apenas manutenção e reparos pontuais, afirma Miake.

Máquinas renovadas, conforto que vale ouro

Piscina, churrasqueira, playground, salão de festas, sala de ginástica são espaços essenciais para os condomínios e devem estar em perfeitas condições de uso. Porém, são os elevadores que jamais podem apresentar defeitos, mas, como qualquer equipamento, estão sujeitos a falhas. Por isso, manutenção bem cuidada e máquinas modernizadas são fundamentais para a tranquilidade do síndico e a valorização do condomínio.

Você já parou para pensar na mudança estética que os elevadores sofreram ao longo do tempo? As antigas cabines de madeira transformaram-se em locais onde se pode encontrar modernidade, tecnologia e beleza. Geralmente, as reformas das cabines incluem as paredes, pisos, tetos e botoeiras. Aço inoxidável, fórmica e folheado de madeira são os tipos de materiais mais comuns utilizados no revestimento dos elevadores. Botoeiras com indicadores digitais e botões que acendem na cor azul – substituindo o tradicional vermelho – e telas de LCD também oferecem ao ambiente um ar de sofisticação.

Menos problemas, mais economia