Quadras Poliesportivas

A quadra é um dos espaços mais requisitados dos condomínios, aproveitada por várias idades, mas pode se transformar em uma cilada se não for bem projetada, executada e conservada, com acessórios adequados. Experiência do gênero foi vivida pelo síndico Paschoal Lombardi Jr., que contratou praticamente a reconstrução da quadra do Condomínio Iepe Golf, no Jardim Taquaral, zona Sul de São Paulo. Como resultado, ele viu a frequência aumentar bastante no local, para 100 pessoas ao dia, estima.

Pisos de quadras constituem uma das áreas que mais requer manutenção periódica nos condomínios, conforme mostra a experiência do síndico profissional Nilton Savieto. Em um dos residenciais em que atua, a pintura costuma ser feita anualmente, pela intensidade do uso e para que esteja sempre em ordem, com as trincas recuperadas e as cores e demarcações vivas.

As quadras poliesportivas também se encontram na mira dos síndicos que buscam a modernização dos condomínios, atendendo a novas práticas e, portanto, ampliando as possibilidades de uso. Para isso, equipamentos mais avançados podem dar um ar de renovação a esses espaços e harmonizá-los com as demais reformas das áreas comuns. Além das redes e aparatos que tornam o ambiente ora uma quadra de vôlei ou badminton, ora de basquete, handebol ou de futsal, entra em cena ainda a troca da iluminação (com refletores em LED), a instalação de redes flexíveis de proteção e a introdução de acessórios para exercícios físicos.

As quadras também entram como uma das áreas favoritas do lazer dos condomínios. Utilizadas por uma faixa etária mais elástica, como jovens e adultos, elas exigem programa meticuloso de controle de uso e manutenção. E este deve incluir, além do piso, outros de seus componentes, como a parte elétrica.

Um dos itens de lazer mais desejados pelos condôminos, as quadras podem ser construídas com diferentes revestimentos e para várias modalidades, adaptando-se com facilidade aos ambientes disponíveis.

Do piso aos alambrados, as quadras esportivas do condomínio merecem atenção constante. O piso deve ser repintado sempre que necessário, assim como a estrutura dos alambrados. A tela do alambrado pode ser esticada por empresa especializada quando for verificada a formação de abaulamentos. Mas, além dessas manutenções frequentes, há acessórios que também precisam de cuidados. Postes, redes e traves costumam sofrer os efeitos do tempo e do uso constante.

O concreto permanece como uma das soluções mais utilizadas no revestimento das quadras dos condomínios, mas novas opções de mercado, como a borracha em placas intertravadas, também vêm agradando aos síndicos. O importante é pensar em um revestimento conforme o uso que será dado ao local, se mais voltado para a prática esportiva focada no desempenho, se para atividades diversas, incluindo skates, ou, ainda, para recreação. No condomínio Stella Solaris, de Moema, bairro da zona Sul de São Paulo, o síndico e engenheiro Paulo Maccaferri optou pela superfície à base de concreto, polido e regularizado por resina acrílica antiderrapante e revestido com tinta também acrílica, resistente aos raios UV.

A arquiteta Mara Cabral, com grande experiência em pisos de áreas comuns de escolas e condomínios, desenvolveu o artigo a seguir com exclusividade para o Grupo Direcional quanto aos cuidados que devem ser tomados no tratamento das superfícies e revestimentos das quadras esportivas e também de recreação para as crianças.

Tamanho não costuma ser problema para as empresas que trabalham com a construção de quadras e instalação de acessórios esportivos. Elas conseguem aproveitar qualquer espaço vago ou subutilizado da área comum dos condomínios e implantar miniquadras ou quadras poliesportivas para a prática das modalidades mais comuns, como futsal, vôlei, basquete e handebol. Mas se houver terreno disponível, melhor ainda, porqueas empresas apresentam também expertise em campos society e na construção de quadras de tênis.

Projetos conciliam segurança, conforto, performancee economia