Terça, 22 Outubro 2019 00:00

As perguntas mágicas na gestão condominial

Escrito por 

Quando estamos lidando com condôminos a palavra mágica não é "se", mas "quando". Muito provavelmente você vai encontrar nos corredores do prédio um condômino que por algum motivo se aborreceu com você, com algum colaborador ou com a sua gestão em geral.

Saber lidar com essas questões de cunho pessoal e interesse individual é importante para o gestor condominial, e vale a pena lembrar, elas são muito comuns no dia a dia do síndico.

A chave para transformar condôminos insatisfeitos em fãs de sua gestão é saber lidar com cada situação especificamente. Diariamente os síndicos se deparam com situações inusitadas e pedidos delicados dos condôminos, que normalmente pretendem descumprir as normas estabelecidas.

Ao encontrar um condômino muito aborrecido pelos corredores do prédio, evidentemente por ter lhe sido negado algum pedido, ouça atentamente às suas reclamações e faça a primeira pergunta mágica: "O que eu posso fazer para deixá-lo satisfeito?" Em seguida, além de se deparar com o espanto dele, ele – o condômino – irá imediatamente relatar seu caso e lhe fazer o pedido.

Evidentemente que o síndico deve fazer aquilo que lhe é permitido, mas o bom senso pode resolver muita coisa. Muitas vezes você, como gestor condominial, não poderá atendê-lo por vedações na convenção ou no regimento interno, mas a primeira pergunta mágica tem o poder de desarmar o oponente e transformá-lo em solução suas necessidades.

Saber ponderar com o condômino sobre suas limitações e as possíveis vedações legais podem ajudar bastante na solução de um problema.

Um exemplo bem claro sobre este assunto refere-se a um caso de um condômino que queria alugar o espaço da churrasqueira, porém, o regimento interno vedava a entrada de convidados ao limite de cinco (05). O condômino insistia de queria levar nove (09) convidados por se tratar de uma festa de família e não abria mão do pedido. Ciente o condômino da impossibilidade de sua pretensão, ele queria ganhar a questão na força. Inteligentemente o síndico chamou os conselheiros e os informou sobre o pedido do condômino e imediatamente encaminhou a saída. Como não havia reserva para o mesmo fim de semana da outra churrasqueira localizada ao lado daquela locada, haveria a possibilidade de aumentar os convidados para dez (10) pessoas, mas como? Simplesmente disponibilizando a churrasqueira livre ao condômino, porém, a cobrança da taxa de aluguel do espaço seria no mês seguinte, viabilizando assim a demanda do condômino.

Finalmente o condômino ficou muito feliz com a saída proposta pelo síndico e mais feliz ainda porque aumentou o espaço para sua comemoração.

Resumindo a situação: 1º) o síndico atendeu ao pedido do condômino no aumento de convidados de sua festa; 2º) não prejudicou o condomínio isentando qualquer taxa prevista, evitando precedentes, mas cobrando a taxa da churrasqueira após 30 dias apenas adiando o pagamento e todos ficaram felizes.

Mas às vezes ele – o condômino- lhe faz dois pedidos: o primeiro você poderá atender, mas o segundo não é possível, mas é viável. Neste momento você síndico precisa encontrar um equilíbrio no atendimento da demanda e tentar transformar a insatisfação em satisfação.

Procure sempre usar a palavra SATISFEITO, é muito importante psicologicamente e entendida no mundo inteiro, além de continuar a negociação emocional psíquica no fundo com o objetivo de satisfazê-lo. Saiba colocar a palavra no momento certo e aproveite a nova oportunidade e faça outra segunda mágica depois que encaminhar a solução: " Isso vai deixá-lo satisfeito?".

Provavelmente você irá atender à demanda do condômino desde que a solução seja inteligente, viável e não prejudique ninguém. O conceito de satisfação tem o poder de massagear o ego do condômino, proporcionando-lhe alegria e bem-estar imediatos. Por outro lado, em seu íntimo, ele se sentirá valorizado e engrandecido com a solução da situação de forma amistosa e passará consequentemente a respeitá-lo pela postura administrativa, com o tempo ser seu fã.

Aposte nisso!


Não reproduza o conteúdo sem autorização do Grupo Direcional. Este site está protegido pela Lei de Direitos Autorais. (Lei 9610 de 19/02/1998), sua reprodução total ou parcial é proibida nos termos da Lei.


Aldo Junior

Especialista e consultor em condomínios desde 1988, é diretor geral da JR Office Assessoria Condominial e da Folha do Síndico, ambos do DF. Atua como diretor artístico e de programação da Rádio Condominio.com. É contabilista, consultor das rádios Antena 01 e Metrópoles 104,1 FM, com o Quadro "Chama o Síndico". Comandou o programa “Meia Hora com Dr. Condomínio” pela Rede Brasil de Televisão. É colunista de jornais, sites, entre outros, e autor do livro "Vida de Síndico", lançado pela Editora All Print. É coordenador geral dos eventos Ciclo de Palestras Condominiais e da Unasíndico.
Mais informações: diretoria@jroffice.com.br.