Segunda, 07 Março 2016 00:00

Desajuste nas válvulas redutoras de pressão aumenta consumo d’ água no condomínio?

Escrito por 

1 – QUAL A FUNÇÃO DAS VÁLVULAS PARA O SISTEMA HIDRÁULICO?

A NBR 5.626, da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), determina que nas instalações prediais de água fria a pressão estática máxima da mesma não ultrapasse a 40 m.c.a. (metros de coluna d’água). Assim, a diferença entre a altura do reservatório superior e o ponto mais baixo da instalação predial não deve ser maior que 40 metros. Por isso, a solução de menor custo e mão de obra, e que ocupa menos espaço, é instalar válvulas redutoras de pressão no subsolo dos edifícios ou na metade da altura do prédio.

2- COMO FAZER A MANUTENÇÃO E EVITAR A DESREGULAGEM?

De acordo com a mesma norma, a manutenção dessas válvulas deve ser realizada uma vez por ano, para verificar eventual emperramento. É importante que o procedimento seja realizado por empresa especializada, garantindo que o sistema trabalhe de forma correta.

3 – QUE DANOS OU PREJUÍZOS ISSO PODE TRAZER AO PRÉDIO?

As válvulas redutoras têm a função de aliviar a pressão gerada pela gravidade da água que desce dos reservatórios superiores. Sem as redutoras, os andares inferiores poderiam ter suas tubulações rompidas devido ao excesso de pressão na rede. O excesso de pressão na vazão das torneiras/chuveiros das unidades pode ser um sinal de que as válvulas redutoras estejam desreguladas, com riscos à integridade das instalações e de um consumo maior de água. Reitero que a regulagem e drenagem da rede deverá ser feita por empresa e/ou profissional especializado, pois se realizado por pessoa despreparada poderá agravar o problema e causar consequências graves.

Matéria publicada na edição - 210 - mar/2016 da Revista Direcional Condomínios

Não reproduza o conteúdo sem autorização do Grupo Direcional. Este site está protegido pela Lei de Direitos Autorais. (Lei 9610 de 19/02/1998), sua reprodução total ou parcial é proibida nos termos da Lei.

Carlos Alberto dos Santos

Profissional com mais de 25 anos no mercado de seguros e gestão de riscos, é fundador da Condorisk do Brasil e possui a certificação AIRM - Alarys International Risk Manager (da Asociación Latinoamericana de Administradores de Riegos y Seguros). Possui expertise na solução de problemas enfrentados pelos síndicos para manter a boa ordem dentro das edificações, atuando hoje em Gestão de Riscos em Condomínios.
Mais informações: carlos@condorisk.com.br.