E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

A população da terceira idade vem crescendo e busca cada vez mais nos condomínios um lar com facilidades, serviços e acessibilidade. De outro lado, é grande o número de residenciais que não estão devidamente adaptados ao aumento desta população. Além da acessibilidade, é preciso rever e humanizar alguns processos para o apoio a esses moradores junto à portaria e demais áreas dos condomínios, como zeladoria, manutenção e limpeza.

As redes sociais vieram para melhorar a relação entre as pessoas desde que utilizadas com sabedoria, principalmente quando voltadas ao grupo de moradores dos condomínios.

A gestão condominial exige cada vez mais transparência do gestor, seja na relação com a administradora e os colaboradores que interferem e representam a esfera interna do condomínio, seja no trato com fornecedores de produtos e serviços que representam a esfera externa ao condomínio. Estes dois ângulos interferem no dia a dia da vida condominial.

No dia 17 de maio passado a síndica Kelly Remonti resgatou, pela primeira vez, os créditos relativos à Nota Fiscal Paulista, programa criado em 2007 do governo de São Paulo, restituindo aos consumidores até 20% do ICMS efetivamente recolhido nas aquisições de produtos, bens e serviços. Saiba como funciona.

Durante o processo de renovação do AVCB do Condomínio Top Village, iniciado em janeiro de 2016, sabíamos que um dos maiores desafios seria a retirada dos latões de lixos das escadas dos andares, mexendo com um hábito de mais de 18 anos.

Muitos síndicos ou gestores sofrem os impactos diretos da falta de planejamento das obras necessárias à manutenção do condomínio.

A renovação do AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros) para a maioria dos síndicos é uma verdadeira maratona, recheada de obstáculos e barreiras. Dependendo de como andam as manutenções do sistema de segurança contra incêndio e seus equipamentos, pode levar grande parte do caixa do condomínio e muita dor de cabeça ao síndico.

Muitos síndicos deixam nas mãos das administradoras atividades que dizem respeito tão somente a ele, que ao final, é o responsável direto pela boa administração dos recursos em prol do interesse coletivo. Administrar o caixa em nome de todos os condôminos exige uma grande dose de organização, planejamento e, acima de tudo, muita transparência na alocação das despesas e na prestação de contas.

A modernização dos elevadores para um condomínio residencial é um processo delicado e complicado a todos os envolvidos: o síndico, o zelador, o fornecedor, as equipes de trabalho de ambos e os próprios moradores. Neste período muitos conflitos ocorrem pela falta de um planejamento e de um bom processo de comunicação em torno das fases de implantação da modernização.

Quando uma despesa começa a martelar a nossa mente, na maioria das vezes, é a ela que devemos dar especial atenção e buscar alternativas para que deixe de ser o centro das preocupações. Refletir sobre despesas que estão fora de controle nos dá a oportunidade de descobrir variáveis e interferências que nunca havíamos parado para entender. E possibilita que encontremos vários caminhos para colocá- -las dentro de uma trajetória de controle.

Logo que assumi meu mandato como síndica do Condomínio Top Village, dediquei algumas horas à leitura do nosso livro de ocorrências, que estava disponível na Portaria. Queria não somente inteirar-me sobre as reclamações em si, mas também entender o que o livro significava à vida do condomínio.

Tão importante quanto planejar e executar o orçamento financeiro do condomínio, também é fundamental planejar as atividades operacionais. Afinal, a falta de planejamento do dia a dia pode influenciar de forma positiva ou negativa a execução orçamentária.