E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Os assaltantes não têm poupado esforços a fim de alcançarem seus objetivos delituosos em condomínios. Usam das mais diversas artimanhas, tendo como seu principal aliado o fator surpresa ou, até mesmo, utilizando-se das mais inusitadas maneiras para enganar condôminos e/ou funcionários. Esses oportunistas estão se aproveitando da atual crise com a pandemia do Covid-19 (novo Coronavírus) para burlarem o controle de acesso dos prédios.

Atualmente, os meliantes não têm poupado esforços para assaltarem os condomínios, quer utilizando artimanhas dissimuladas e com enganação, quer usando de violência planejada para invadirem os prédios e alcançarem seus objetivos delituosos.

Casos de violência na parte externa dos condomínios, muitas vezes de moradores e visitantes rendidos na entrada ou saída dos portões, também podem ser prevenidos por um sistema de segurança da edificação? O tema é analisado pelo consultor da área José Elias de Godoy.

Os arrastões contra condomínios em São Paulo estão diminuindo, algumas quadrilhas foram presas e os próprios criminosos preferem aplicar hoje golpes mais sutis e pontuais, avalia José Elias de Godoy. Oficial da Polícia Militar de São Paulo, consultor de segurança para condomínios e autor de livros na área, José Elias orienta os síndicos a se prepararem para evitar essas armadilhas.

“O ideal é que tudo que envolva segurança seja feita de forma preventiva”