Quarta, 25 Novembro 2020 00:00

Conservação da academia em condomínios também agrega valor patrimonial

Escrito por 

A academia do prédio em que moramos deve proporcionar conforto e gerar sensação de prazer e vontade de praticar o treino quando chegamos lá. O ideal é dispormos de um ambiente claro, limpo, organizado, bem equipado e com regras claras de convivência. Mas nem sempre é isso o que acontece, infelizmente.

A academia de ginástica nos condomínios merece a atenção do síndico. Local destinado a promover saúde mental e física dos condôminos e, porque não um bom bate-papo entre moradores na pausa entre um aparelho e outro, ele deve gerar bem-estar. Além disso, ela representa um espaço de lazer com uma das melhores relações custo e benefício ao morador, que, já estando em casa, basta pegar o elevador e conseguir se exercitar, seja sozinho, com a família ou, ainda, com o auxílio de um personal trainer. É um momento em que ele pode ainda ouvir uma boa música, um bom programa de tevê entre um exercício e outro e se desestressar. Diga-se que a academia é o lugar onde as pessoas devem sair melhor em relação a como entraram, eliminado as turbulências mentais do dia a dia. Principalmente neste momento de pandemia que estamos passando, pois o exercício físico melhora a nossa imunidade e nos faz sentirmo-nos melhor.

Já tive a oportunidade de conhecer várias academias de edifícios de médio e alto padrão, que lamentavelmente estão largadas, limitando seu uso pelos condôminos, dando a impressão de ser um dos piores espaços do edifício. Algumas com os equipamentos sem nenhuma manutenção há meses ou anos, lotados de poeira, ferrugem e estofados rasgados, levando muitas vezes o gestor a pensar na possibilidade de eliminar este espaço definitivamente. São salas ou áreas que foram apenas adaptados para esta finalidade, sem janela e com as laterais abertas, sem proteção acústica nem vidros. A falta de isolamento do local ocasiona poeira nos aparelhos, que rapidamente emperram, enferrujam e ficam sem uso, além de incomodar os moradores de andares mais baixos, que lotam os livros de registros de reclamações.

Edifícios onde as academias não existiam e que acabaram surgindo sem nenhuma organização ou planejamento apresentam esse perfil. Vocês já devem ter presenciado academias ou espaços de exercícios em alguns condomínios montados com doações de moradores, tais como bicicletas ergométricas, esteiras, halteres, caneleiras etc. Esses acessórios vão sendo acomodados de qualquer maneira num cantinho desse espaço ou acabam empilhados pela sala. Não podemos esquecer também dos moradores que levam as crianças para a academia, deixando-as soltas e escalando os aparelhos, como se isso fosse permitido pelo regulamento de uso do ambiente. Impossível frequentar um local assim. Outro problema comum é a inadequação dos pisos, que não foram instalados para receber o impacto desses aparelhos.

Investimentos

Vale a pena contratar e investir neste cantinho tão valioso hoje aos condôminos. Caso não seja seu momento para a compra de aparelhos, de um piso adequado e dos acessórios necessários, o síndico tem a opção de locar equipamentos por um preço bem acessível. Atualmente existem empresas que, além da manutenção, prestam este serviço e podem organizar e adequar todo o seu espaço, respeitando seu orçamento, de forma que o condômino passe a usufruir deste bem.

A contratação de uma manutenção periódica é fundamental, porque em muitos prédios encontramos equipamentos sem manutenção e isso, além de representar a desativação do aparelho, é um bem patrimonial que está se deteriorando. É importante ainda investir na iluminação, em espelhos e na ventilação, itens que colaboram bastante para o conforto no momento do treino.

Manutenção

Incluir regras de uso e conservação faz todo sentido, para evitar desorganização, barulhos fora de hora e o acesso de crianças menores de 14 anos ao ambiente. Inúmeros acidentes acontecem com crianças sob a negligência dos adultos e/ou responsáveis. Nessa época de pandemia da Covid-19, é preciso organizar uma tabela com reserva de horários fixos para cada apartamento, bem como providenciar a higienização por conta do próprio condômino, no início e no final de seu treino.

Recomenda-se que a administração do condomínio peça gentilmente que os usuários da academia cuidem com carinho das instalações. Tenham bom senso e usem com cuidado os aparelhos e acessórios, desligando as esteiras, lâmpadas e ventiladores após o uso.

Com os equipamentos funcionando perfeitamente e os agendamentos de horário idem, teremos garantido o bem-estar de todos. Não custa lembrar que a academia do condomínio que estiver aberta deve estar com os devidos cuidados e protocolos de higiene e segurança.

Fazendo um bom planejamento e melhorias, equipando a academia aos poucos, o síndico você irá agregar valor à sua gestão e manterá a conservação e valorização do patrimônio, algo que é tão precioso, pois faz parte de nossa casa.


Não reproduza o conteúdo sem autorização do Grupo Direcional. Este site está protegido pela Lei de Direitos Autorais. (Lei 9610 de 19/02/1998), sua reprodução total ou parcial é proibida nos termos da Lei.


Cristiane Bittencourt Reis

Síndica profissional em São Paulo, tem formação na área pela Gabor RH. É graduada em Comunicação Social, com MBA em Recursos Humanos pela USP e educação continuada em Finanças, RH e Administração pela FGV. Tem 20 anos de experiência na área administrativa em empresa privada e é sócia da Ruffino & Alvim Empreendimentos e Administração de Imóveis. Possui ainda cursos de Gestão em Qualidade de Vida pela FEA-USP PROGEP, Administração de Conflitos e Qualidade Máxima no Atendimento ao Cliente, os dois últimos pelo Sebrae.
Mais informações: cristianesindica@hotmail.com.