Terça, 09 Setembro 2014 00:00

Custos e etapas de um retrofit elétrico no condomínio

Escrito por 

“É muito perigoso conviver com uma instalação elétrica mal cuidada, pois os efeitos podem ser do incêndio a choques elétricos fatais.”

Em artigo anterior, falamos da importância de realizar a revisão e, se necessário, a reforma da instalação elétrica predial. Este procedimento, conhecido no meio como retrofit, tem o objetivo de garantir a segurança dos moradores de uma residência ou do condomínio. Pois bem, compreendida a importância, a pergunta é: o que fazer e quanto custa? Vou apresentar um exemplo que servirá como roteiro para contratação deste serviço, ou mesmo para ajudar na tomada da decisão.

Checklist, etapas
O primeiro passo é estabelecer a periodicidade da verificação da instalação elétrica. O período recomendado é de cinco anos, portanto, passado esse tempo, é muito importante que você faça ampla varredura de toda essa estrutura e de seus componentes, recorrendo, para isso, a um profissional legalmente habilitado. Ele deve ser um técnico ou engenheiro eletricista e terá que cumprir com as seguintes etapas:

  • Verificar o estado dos componentes da instalação, verificando se há sinais de aquecimento em fios, tomadas conexões etc.;
  • Depois, realizar a medição de consumo de energia e identificar, assim, se a instalação elétrica não está no limite de sua capacidade;
  • Confirmar se todos os dispositivos de segurança estão instalados e bem dimensionados, além de em perfeito estado de conservação;
  • Proceder ao reaperto de todas as conexões;
  • Verificar o Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas (SPDA/para-raios).

Aumento de carga
Mas e se houver necessidade de alguma intervenção no prédio, como faremos?

Supondo que seu condomínio tenha mais de 20 anos e nunca realizou qualquer adequação na instalação, ou o fez sem critérios. Está na hora de fazer a coisa certa, então vamos lá.

Constatado que o condomínio necessita de um ajuste de cargas para adequar o sistema à realidade atual de consumo, você precisa contratar um projeto elétrico, atendendo às seguintes recomendações:

  • Este projeto elétrico deverá ser realizado por um Engenheiro Eletricista devidamente registrado no CREA do seu Estado. O projeto deverá contemplar o levantamento de consumo realizado na verificação, além dos hábitos de consumo dos moradores, por este motivo é um processo de engenharia;
  • O projeto deverá ser executivo, ou seja, deverá conter todas as informações referentes à reforma e às adequações necessárias para a distribuidora de energia verificar como fazer este processo na parte externa da edificação, já que na maioria dos casos haverá a necessidade de aumentar a disponibilidade de carga para o condomínio;
  • Este profissional também deverá ser o responsável pelo processo junto à distribuidora de energia, desde a entrada com o pedido de análise até a aprovação e, caso necessário, comprometendo-se a efetuar os ajustes solicitados durante o processo de análise e aprovação. O custo do projeto gira entre R$ 15 e R$ 40 mil dependendo do tamanho e da complexidade do condomínio;
  • Aprovado junto à distribuidora de energia, é hora de iniciar os trabalhos de reforma da instalação. Normalmente haverá modificações nas cabines de medição de energia, com substituições de medidores e adequação de proteções. Outra mudança que deverá acontecer é com relação aos condutores, que provavelmente serão substituídos, O projeto é importante para decidir qual a melhor seção (bitola) e qual o caminho que poderá ser usado para esta substituição, já que, na maioria das vezes será aumentada a seção e incluído o condutor de proteção (Fio terra). Esta modificação é individual por unidade (casa ou apartamento) e invariavelmente haverá a necessidade de desligamento da unidade pelo tempo de substituição dos condutores;
  • Um ponto que deve ser levado em consideração é com relação ao desligamento temporário, pois é necessário saber se há unidades que necessitam de energia constante, seja por armazenamento de produtos, ou por equipamentos médicos. Esta programação deverá ser realizada em conjunto com o morador e, então, efetuada sem maiores prejuízos.
  • Desligamentos: além do desligamento para a substituição dos condutores da unidade, mais três paradas poderão acontecer durante a reforma, como:
  • Para a substituição ou ajuste no trabalho que cabe à distribuidora de energia;
  • Para a ligação em conjunto de proteção provisória, serviço que visa à substituição dos medidores e quadros de proteção; e,
  • Retorno para a ligação definitiva.

Este processo todo leva de dois a sete meses, dependendo da velocidade da distribuidora de energia em analisar os dados e fornecer a resposta, que normalmente absorve até 90 dias.

Uma estimativa de valor reforma de um prédio de 15 andares e 60 apartamentos (de cerca de 80m2 cada), incluindo área comum (garagem jardim), é a de que esta reforma completa tenha um custo aproximado de R$ 250 mil, o que daria pouco mais de R$ 4 mil por condômino. Este valor poderá ser obtido em rateios extras ou mesmo em um planejamento. Lembre-se que é muito perigoso conviver com uma instalação elétrica mal cuidada, pois os efeitos podem ser do incêndio a choques elétricos fatais.

São Paulo. 9 de setembro de 2014

Não reproduza o conteúdo sem autorização do Grupo Direcional. Este site está protegido pela Lei de Direitos Autorais. (Lei 9610 de 19/02/1998), sua reprodução total ou parcial é proibida nos termos da Lei.

Edson Martinho

Engenheiro Eletricista, é diretor-executivo da Abracopel (Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade). Professor, palestrante e articulista. Escreveu e publicou o livro "Distúrbios da Energia Elétrica" (Editora Érica, 2009)
Mais informações: edson@lambdaconsultoria.com.br



PDF Revista Direcional Condomínios