Quarta, 09 Dezembro 2015 00:00

Preciso aumentar a capacidade instalada do condomínio na área elétrica?

Escrito por 

"Não é só necessário reformar as instalações externas, é necessário avaliar a capacidade instalada".

Tenho discorrido em meus artigos sobre a importância da revisão e, se necessário, da reforma da instalação elétrica das áreas comuns e até mesmo das unidades habitacionais, muito mais conhecidas como casas ou apartamentos. Esta necessidade ocorre devido ao envelhecimento dos componentes de uma instalação, como é o caso de condutores (fios e cabos), de fusíveis ou disjuntores, tomadas e interruptores. Mas também ela pode ser atribuída à necessidade de aumentar a segurança de quem utiliza da instalação elétrica, a partir da introdução de novos dispositivos, como o DR (de proteção contra choques elétricos) ou DPS (para que não haja danos aos equipamentos eletrônicos). Finalmente, a reforma responde ainda à necessidade de aumento da carga instalada ao longo do tempo.

Vamos pensar em nossa casa há 20 anos. É provável que houvesse uma ou duas TVs, talvez um computador, máquina de lavar, micro-ondas, e mais alguns eletrodomésticos. O chuveiro, se elétrico, tinha a potência máxima de 4400 Watts. Agora, olhe em volta da sua casa e veja quantos equipamentos há na sua residência. Avalie a potência do chuveiro elétrico (a média de potência é de 5600 Watts, mas há muitos com 6800 W). Imagine, por extensão, que seu condomínio tenha 50 unidades e que todas tiveram ampliado o número de equipamentos. Como fica então a somatória da carga instalada e utilizada no seu condomínio? Deve ter aumentada também, não é mesmo? Então é isto. Na época em que foi construído seu condomínio ou residência, o projetista elétrico pensou em uma quantidade média de equipamentos e, consequentemente, de carga para cada unidade. Levou em conta fatores de simultaneidade (quantos equipamentos são ligados ao mesmo tempo), ajustou alguns parâmetros e informou a distribuidora de energia que aquele condomínio necessitaria de "X" de energia elétrica. Porém, ao longo do tempo, esta necessidade ampliou e agora o condomínio precisa de "X+Y". Desta forma, é hora de solicitar o aumento da carga disponibilizada para o condomínio.

Mas é importante saber qual valor será utilizado para este aumento. Neste caso, entra em cena o projeto elétrico de adequação do condomínio. Como citei em artigos anteriores, o projeto elétrico de adequação e reforma deverá ser realizado por profissional habilitado, que aplicará as normas técnicas como base e irá considerar um estudo de consumo e de hábitos no prédio.

Minha recomendação é que se busquem profissionais qualificados, habilitados e que possam apresentar estudos de consumo de pelo menos uma semana, onde ele entenderá o perfil do condomínio.

Não reproduza o conteúdo sem autorização do Grupo Direcional. Este site está protegido pela Lei de Direitos Autorais. (Lei 9610 de 19/02/1998), sua reprodução total ou parcial é proibida nos termos da Lei.

Edson Martinho

Engenheiro Eletricista, é diretor-executivo da Abracopel (Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade). Professor, palestrante e articulista. Escreveu e publicou o livro "Distúrbios da Energia Elétrica" (Editora Érica, 2009)
Mais informações: edson@lambdaconsultoria.com.br