Quinta, 04 Agosto 2016 00:00

Fio terra e aterramento no condomínio: o condutor de proteção!

Escrito por 

"Fio terra, o cinto de segurança da sua instalação elétrica."

Nos primeiros artigos desta minha coluna já tive oportunidade de falar do condutor de proteção, conhecido como fio terra, mas motivado por inúmeras dúvidas, achei interessante reforçar e complementar a importância deste fio que, como diz o subtítulo, é considerado o cinto de segurança da instalação elétrica.

O condutor de proteção - fio terra - tem uma importante função na instalação elétrica, pois participa de vários momentos da segurança, como atuação de dispositivos, minimização dos choques e até a melhora do funcionamento de equipamentos eletrônicos. Muitas vezes, porém, os profissionais ou pseudo-profissionais que atuam nas instalações elétricas prediais não sabem ou têm sérias dúvidas sobre como efetuar o aterramento correto. O objetivo deste artigo não é ensinar as pessoas a instalar o condutor de proteção, mas sim oferecer algumas dicas de como observar se um sistema de aterramento está ok e dentro das normas ou não, já que na maioria das vezes vocês irão contratar o profissional para instalar o fio terra.

A primeira dica é que em todas as instalações, seja ela dentro ou fora da residência, as tomadas devem possuir três pinos, e o pino central deve ter o fio terra instalado. Portanto, em todos os pontos onde houver fios de energia elétrica, deverá haver pelo menos 3 (fase e neutro ou duas fases e o fio terra). Se forem instalações de chuveiro elétrico ou torneira, onde não se deve usar tomada, ainda assim elas devem possuir o fio terra e este instalado no fio verde do chuveiro.

De acordo com a norma técnica, este fio terra deve ser na cor verde ou verde e listras amarela.

A outra dica é que nem todos os equipamentos precisam do fio terra, mas os equipamentos com carcaças metálicas se valem do fio terra para garantir a segurança e a atuação de dispositivos como DR (Interruptor Diferencial Residual). De outro modo, há vários equipamentos que não precisam por serem relativamente seguros, entretanto, esse fato não significa que a instalação não deva disponibilizar o fio terra.

Dos aterramentos

De onde tiro o condutor de proteção (fio terra) para minha instalação? O sistema de aterramento é constituído por Eletrodo de aterramento, condutor, barramentos e conexão com o equipamento.

Durante muito tempo - e ainda vejo esta situação, achou-se que colocar o fio terra do equipamento no parafuso da tomada já estaria aterrado. Ledo engano! Em primeiro lugar, as caixinhas e tubulação são atualmente de material plástico e, portanto, não condutoras. Mas mesmo que fossem metálicas, o ferro não funcionaria (nem é) como um bom condutor de energia elétrica. Isto se aplica também às tubulações, sejam elas metálicas ou não, bem como às torneiras. Outra opção utilizada erroneamente é o vaso de plantas, o qual não possui a característica de aterramento elétrico e, portanto, não será satisfatório. Ainda outra opção comum e equivocada, apesar de parecer mais técnica, é usar um ponto da ferragem do prédio, principalmente para andares mais altos, e ligar um fio neste ferro e achar que está aterrado. Neste caso o risco é ainda maior, pois além de não estar corretamente aterrado, no caso de descargas atmosféricas (raio), este poderá ser conduzido para seu apartamento e danificar tudo.

Então, o correto de um sistema de aterramento é iniciar por um eletrodo, que deverá estar localizado no solo, ou seja, onde as fundações da edificação se encontram, e ser constituído por pelo menos uma das configurações abaixo:

  • - Ferragens das ESTRUTURAS DAS FUNDAÇÕES (grifo meu para explicar que somente os ferros das fundações podem ser usados como eletrodo de aterramento);
  • - Malhas inseridas no nível das fundações;
  • - Anel circundando a edificação.

Deste eletrodo de aterramento sairá um condutor até o quadro de distribuição e, deste, haverá ramificação para a edificação. Se for o caso de um prédio de apartamentos, o fio sairá do eletrodo, chegará no quadro de distribuição do prédio e,  deste quadro, irá para cada apartamento chegando ao quadro da unidade, devendo ser distribuído para as tomadas internas e pontos de alimentação elétrica.

Não se engane, aterramento é um item importante da instalação, não deixe qualquer um tomar conta dele! Consulte sempre um profissional habilitado (dê preferência para um projeto elétrico feito por um engenheiro eletricista ou técnico em eletrotécnica).

Não reproduza o conteúdo sem autorização do Grupo Direcional. Este site está protegido pela Lei de Direitos Autorais. (Lei 9610 de 19/02/1998), sua reprodução total ou parcial é proibida nos termos da Lei.

Edson Martinho

Engenheiro Eletricista, é diretor-executivo da Abracopel (Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade). Professor, palestrante e articulista. Escreveu e publicou o livro "Distúrbios da Energia Elétrica" (Editora Érica, 2009)
Mais informações: edson@lambdaconsultoria.com.br



PDF Revista Direcional Condomínios