Quinta, 02 Agosto 2018 00:00

Condômino, será que a escola do seu filho tem a instalação elétrica tão segura quando sua casa?

Escrito por 

O assunto deve ser pensado nesta época de retorno às aulas. Afinal, o mesmo padrão de segurança que a criança deve encontrar em casa e no condomínio em relação à eletricidade, terá que ser adotado pela escola.

Você já deve ter visto aqueles posts nas redes sociais que dizem e mostram as crianças andando no porta malas do carro, comendo bala tipo soft, espirrando "veneno" para matar mosquitos e a frase dizendo - "Eu sobrevivi a isto". É fato que, no passado, fizemos coisas que hoje são consideradas perigosas, mas eram outros tempos e outros riscos. Com a evolução do tempo, mudamos nossa perspectiva de vida e temos que nos adequar. Eu mesmo fiz algumas "artes" quando criança e jovem, que não permito que meus filhos façam hoje, pois sei do risco que corri. Uma delas está ligada à instalação elétrica.

Para quem acompanha minha coluna mensal no portal da Direcional Condomínios tem lido a campanha sistemática que faço para que todos tenham suas instalações elétrica seguras, seja dentro da sua residência ou no condomínio onde moram. E espero que todos tenham atingido esta consciência, revisado a instalação da sua casa e contribuído para que o condomínio também ofereça segurança, no que diz respeito à eletricidade, a você, seus filhos e os moradores. Se ainda não o fez, está aí uma boa oportunidade.

Mas nem você, tampouco seus filhos, passam a vida toda dentro de casa, certo? Vão a outros locais, e então começa a preocupação. Com o final das férias, vamos falar da escola. Seu filho vai para a escola e passa parte do dia nela e, se está na fase pré ou adolescência, certamente usa tablets, celulares, computadores etc. Tem aulas de laboratório, informática, assiste a filmes e tudo mais. Certamente, quando você escolheu a escola dele se preocupou com alguns requisitos, como local, método de ensino, segurança pessoal e patrimonial etc. Mas a pergunta é: Você se preocupou ou se preocupa em saber se a instalação elétrica da escola está revisada e adequadamente segura para receber os seus filhos?

Da mesma forma que em sua casa, seu filho está exposto a riscos como tomadas e quadros de energia elétrica, que muitas vezes ficam expostos e ao contato de todos, podendo ser acessado por ele, seu filho. Se estas partes elétricas não estiverem devidamente protegidas, poderá ocorrer um choque, e como vocês sabem, o choque pode gerar um acidente até fatal. Tomadas devem estar protegidas por DR, e se for em locais onde há crianças, também protegidas por tampões. Há também tomadas que têm os furos tampados e só permitem a abertura se um plugue acessar. Assim, estas tomadas não permitem que uma criança coloque um metal na tomada. Os quadros de disjuntores devem ser protegidos com tampas externas e internas, não permitindo que haja acesso a nenhuma parte energizada. Outra preocupação é com o uso de benjamins, TE´s e Extensões, que podem causar sobrecargas e um princípio de incêndio. A dica é: Sr. Pai, tenha uma conversa com os responsáveis pela escola e verifique o quanto eles estão preocupados com a instalação elétrica, se há projeto elétrico, se revisam constantemente e se utilizam profissionais legalmente habilitados para estas ações. Afinal, é a segurança e a vida do seu filho que está em jogo.


Não reproduza o conteúdo sem autorização do Grupo Direcional. Este site está protegido pela Lei de Direitos Autorais. (Lei 9610 de 19/02/1998), sua reprodução total ou parcial é proibida nos termos da Lei.

Edson Martinho

Engenheiro Eletricista, é diretor-executivo da Abracopel (Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade). Professor, palestrante e articulista. Escreveu e publicou o livro "Distúrbios da Energia Elétrica" (Editora Érica, 2009)
Mais informações: edson@lambdaconsultoria.com.br