Terça, 16 Junho 2020 00:00

Veículos elétricos e seus carregadores nos condomínios. Dicas aos síndicos

Escrito por 

Vem aí mais uma carga elétrica no prédio, o que fazer?

O mundo evoluiu e, de repente, a poluição fez com que fossem repensadas formas de diminuir o tão falado "efeito estufa". Redução do consumo de energia é um deles, geração de energia alternativa ao combustível fóssil é outra, e já falamos disto em outros artigos Mas um deles, que já é estudado há anos, e somente agora começou a ser tratado em grande escala, diz respeito aos veículos movidos à energia elétrica, conhecidos como veículos elétricos. Algumas cidades já implantaram o sistema de caminhões elétricos na coleta de lixo, por exemplo, Salto, no interior de São Paulo.

Da mesma forma, os veículos elétricos de passeio estão chegando e esta é, certamente, mais uma mudança de consumo que não tem volta, como foram os veículos biocombustíveis nos anos 1980. Hoje, nenhum veículo a combustão sai de fábrica sem ao menos dispor da possibilidade de uso de gasolina ou etanol. Pois bem, se é inevitável, então teremos que nos preparar certo? E aí é que mora o perigo.

Inicialmente, haverá em breve demanda provenientes de inúmeros tipos de carregadores para atender a vários veículos elétricos ao mesmo tempo. Isto poderá ser rateado entre os proprietários de um condomínio, através de carregadores com cartões (tipo um cartão pré-pago com determinado crédito de energia). Ou, ainda, cada morador irá ligar o seu carregador no seu quadro de energia, o que implicará em muitas decisões a serem tomadas pelos gestores, porém, a mais importante está na verificação da carga instalada na edificação.

Nesse contexto, é importante lembrar que o primeiro aspecto a ser destacado é que, na maioria das instalações elétricas, esta carga não foi prevista e um carregador de baterias de veículo elétrico poderá ter potências que variam de 3 a 22KW, ou seja, potências elevadas que deverão ser consideradas. Isto se contarmos apenas um veículo e um carregador. Agora imaginem que em breve a garagem do condomínio terá mais de um veículo elétrico, e aí? Vai deixar somente um carregador? Talvez você esteja pensando, problema deles, já decidimos que cada morador com seu veículo terá o carregador instalado na sua instalação elétrica. OK, é possível adotar essa solução para minimizar o problema com o rateio. Mas, de outro lado, é fundamental lembrar que esta carga que entrará a mais na instalação da unidade será acrescida ao total do prédio e, certamente, ela não foi prevista, então sobrecarregará essa instalação, que passa por ambientes comuns. Isso poderá gerar um aquecimento, possibilitando o incêndio ou mesmo aumentará a carga na instalação como um todo, criando uma sobrecarga na rede da distribuidora de energia, podendo até danificar o transformador da rua (se este for o caso) ou a do prédio.

Se os síndicos e condôminos ainda não pensaram nisto, pensem agora e já comecem a programar uma revisão das instalações da edificação, com projeto e previsão de aumento de carga, incluindo cargas de carregadores de veículos elétricos.


Não reproduza o conteúdo sem autorização do Grupo Direcional. Este site está protegido pela Lei de Direitos Autorais. (Lei 9610 de 19/02/1998), sua reprodução total ou parcial é proibida nos termos da Lei.


Edson Martinho

Engenheiro Eletricista, é diretor-executivo da Abracopel (Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade). Professor, palestrante e articulista. Escreveu e publicou o livro "Distúrbios da Energia Elétrica" (Editora Érica, 2009)
Mais informações: edson@lambdaconsultoria.com.br