Domingo, 05 Agosto 2018 00:00

Há idosos sozinhos e dependentes no condomínio, como agir?

Escrito por 

A população da terceira idade vem crescendo e busca cada vez mais nos condomínios um lar com facilidades, serviços e acessibilidade. De outro lado, é grande o número de residenciais que não estão devidamente adaptados ao aumento desta população. Além da acessibilidade, é preciso rever e humanizar alguns processos para o apoio a esses moradores junto à portaria e demais áreas dos condomínios, como zeladoria, manutenção e limpeza.

O síndico deve mapear as adaptações necessárias e, se possível, orçá-las para que a assembleia possa aprovar com consciência as melhorias. As adequações de acessibilidade acabam beneficiando também pessoas com necessidades especiais, gestantes e mamães com bebês. Elas já estão normatizadas no País desde 2004 (época da 2a edição da ABNT NBR 9050/2015) e encontram amplo respaldo na legislação.

Paralelo à acessibilidade, compete ao síndico implantar pequenos processos de cuidados com os idosos nas diversas áreas de apoio citadas acima. Sugerimos que os porteiros, por exemplo, estejam mais atentos aos hábitos desses moradores, observando se tem havido quebra de rotina em seus banhos de sol, o que poderá ser indicativo de algum problema sério com o condômino. Não custa fazer contato com a unidade, o que será de grande ajuda em uma emergência. Aqui, vale citar a importância de manter o cadastro atualizado da unidade, com contatos de familiares ou pessoas próximas. A probabilidade de acidentes domésticos é alta entre eles e exige ações rápidas e amparo.

No Condomínio Top Village já registramos acidentes domésticos que contaram com o pronto e adequado atendimento da parte dos porteiros. Oferecemos a estes, ao zelador e ao manutencista um calendário de cursos de reciclagem, entre os quais, o treinamento “Porteiro, Amigo do Idoso”. Outra atitude simples que pode salvar vidas é orientar o idoso a não deixar as chaves na fechadura da porta após trancá-la. São dicas simples, mas de grande valia. Basta ao síndico se colocar no lugar do idoso para encontrar as soluções. Toda e qualquer ação é bem-vinda a essa população.


Matéria publicada na edição - 237 - agosto/2018 da Revista Direcional Condomínios

Não reproduza o conteúdo sem autorização do Grupo Direcional. Este site está protegido pela Lei de Direitos Autorais. (Lei 9610 de 19/02/1998), sua reprodução total ou parcial é proibida nos termos da Lei.

Kelly Remonti

Graduada em Administração de Empresas, com especializações nas áreas de Finanças e Contabilidade. Possui MBA em Logística Empresarial pela FGV de Campinas. É consultora financeira/administrativa e síndica do Condomínio Top Village, localizado em Alphaville, Região Metropolitana de São Paulo. Membro da ACVAT - Associação de Condomínios Verticais de Alphaville/Tamboré.
Mais informações: kellyremonti@hotmail.com