Sistema ajuda a diminuir consumo e valor final da conta

Escrito por 

O sistema de medição individualizada assegura um uso mais racional da água e permite que cada condômino pague pelo que consumiu. “O fator financeiro faz com que as pessoas mudem definitivamente de comportamento e reduzam o consumo”, observa Manuel Sebastião Filho, proprietário da Condomínio Central, empresa que atua há 23 anos em serviços de hidráulica, pintura e impermeabilização em São Paulo. Uma economia que chega, no mínimo, a 20% do consumo anterior. Além disso, elas pagam “um preço mais justo por aquilo que consomem”.

Manuel Filho estima que pelo menos 99% dos condomínios na cidade ainda façam o rateio por igual  da fatura da água, penalizando os moradores que consomem menos. A Sabesp, concessionária do serviço em São Paulo, lançou apenas neste ano a possibilidade de emitir boletos individualizados por apartamento. Somente dois sistemas foram homologados até o momento, afirma Manuel, que está habilitado a instalar ambos. Este, aliás, destaca o empresário, representa hoje seu grande diferencial. Os hidrômetros são instalados preferencialmente nos halls, próximos dos apartamentos. Pulsos elétricos são emitidos até uma centralizadora, que armazena os dados de consumo, posteriormente coletados pela Sabesp. Segundo Manuel, a adaptação dos apartamentos dentro dos padrões da Sabesp exige apenas um ponto de entrada de água por apartamento (ou dois, se houver rede de água quente), “observando todas as normas aplicáveis com vazões e pressões suficientes para garantir o conforto dos consumidores e a eficiência dos aparelhos”. “Normalmente, na quase totalidade dos casos, são criadas novas prumadas”, acrescenta. Os serviços envolvem quebra de parede e pisos. O empresário ressalva, no entanto, que a Condomínio Central utiliza máquinas especiais para minimizar os transtornos, como equipamentos de corte de paredes acoplados a um aspirador de pó.

Manuel recomenda também a individualização nas edificações que precisam fazer a troca das colunas, substituindo o encanamento antigo e inadequado, em geral de tubo de ferro galvanizado. “O custo da substituição das colunas normalmente é superior à implantação do nosso sistema.” Presente em diversos países, a Sappel do Brasil é outra empresa que possui forte presença em São Paulo nos serviços de individualização de água e gás. De origem francesa, ela fabrica hidrômetros e oferece um sistema de medição em rádio frequência, que emite “alertas para vazamentos, tentativas de fraude e desconexão do rádio”, afirma o diretor Perlúcio Bezerra. Na individualização, “ninguém paga pelo que não gastou”, destaca Perlúcio. E ao perceber “o real valor da água”, o morador “inicia automaticamente os controles dentro de casa: banhos mais rápidos, consertos de pequenos vazamentos e uso racional da máquina de lavar roupas e louça”. Licenciada pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), a tecnologia da Sappel dispensa a necessidade de cabeamento e da presença do leiturista no condomínio. A empresa, que atua em todo País por meio de representantes, anuncia o lançamento de um novo produto no próximo mês de setembro, durante a VI Feira Internacional de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Fitabes), no Recife, sede da empresa no Brasil. Perlúcio Bezerra não pôde antecipar informações sobre a nova tecnologia, mas assegura que esta será a grande novidade do mercado em 2009.

A empresa aposta na tendência cada vez mais forte da individualização, principalmente porque em alguns estados, como Pernambuco, a lei obriga à adoção do sistema. Para o engenheiro Marco Aurélio de Toledo Arruda, proprietário da Metragen Medição Individual de Água e Gás, a individualização propicia “justiça social e cidadania”, “redução das taxas condominiais e do consumo de energia elétrica (no caso da água, pois demanda bombeamento de menor volume), detecção de vazamentos, valorização do condomínio”. De quebra, também “colabora na preservação dos recursos hídricos”. No mercado desde 2001 em São Paulo, a Metragen está expandindo os serviços para duas novas capitais brasileiras ainda neste semestre. Em 2006, a empresa começou a trabalhar com o sistema via rádio frequência da Sappel, para gás e água, em que “um dispositivo acoplado ao medidor capta as informações de consumo e as armazena”.

Também trabalhando com individualização por radio frequência, a Blockar do Brasil anuncia que é “o único sistema em rádio aprovado pela Sabesp”. Segundo a diretora comercial Patrícia Rodrigues, é também o “único bidirecional” e “possibilita a leitura e a suspensão remota (corte) do fornecimento de água e gás”. “O mais importante”, acrescenta Patrícia, “é que ele permite leituras mensais e diárias, detectando com rapidez vazamentos” e “uma gestão detalhada através de nosso software”. Estes atributos representam, conforme a diretora, os principais diferenciais da empresa em relação ao mercado. Constituída há quase uma década, a Blockar atua com a individualização da água e do gás no Estado de São Paulo, em um segmento que tende a crescer, diante da necessidade cada vez maior que os cidadãos e as empresas encontram para reduzir custos.

Para a Techem do Brasil, empresa de origem alemã e líder européia de sistemas de medição e cobrança do consumo de água e energia, “a gestão é fundamental” aos processos de individualização. “Nossa estrutura, gestão e qualificação da equipe permitem que a soma do valor pago por cada um dos condôminos seja igual ao valor pago pelo condomínio à Sabesp”, observa Eduardo Lacerda, responsável pelas operações da subsidiária no País. Primeira empresa a utilizar equipamentos de medição por radio frequência, a Techem destaca-se também pelos serviços de atendimento ao consumidor, por meio de uma linha telefônica gratuita (0800) e também por um portal na internet, que possibilita ao usuário acesso ao seu histórico de consumo dos últimos 13 meses. “Utilizamos ainda conexões metálicas de primeira linha, o que confere uma segurança extra para as instalações”, afirma Eduardo. A empresa possui escritórios em operação em São Paulo (atende Capital, Grande São Paulo e Interior), no Rio de Janeiro (Grande Rio) e em Belo Horizonte e está expandindo o trabalho para as demais capitais brasileiras, respaldada pela “qualidade de sua gestão, segurança, elevado capital social e seguro de responsabilidade civil”. Ao contratar a individualização, síndicos e condôminos devem estar bastante atentos ao sistema de gestão de contas, observa, por sua vez, Halyson Leandro Pires, gerente comercial da Conexão Instalações Montagens e Construções. A empresa tem sido contratada, prossegue Halyson, “para assumir a leitura de empresas que não estão dando um bom suporte”. Uma gestão adequada implica, segundo ele, em “não só  trabalhar com números, mas sim informar e dar dicas de uso racional”.

Há nove anos no mercado, a Conexão atua com individualização de água e gás e tubulação (gás). A individualização do gás atinge aproximadamente 70% dos condomínios, estima o gerente comercial. “A empresa trabalha em parceria com várias empresas, que são escolhidas pela eficácia de seus produtos e sempre dentro das normas da ABNT e aprovados pelo Inmetro.” Para os serviços de gás, ela atua em todo País; na individualização da água, em São Paulo e na região do Grande ABC, destacando-se pela “qualidade final da obra e o atendimento de nossos profissionais, que são treinados e certificados por órgãos oficiais de prestigio internacional”.

Finalmente a Direcional Instalações, que chegou ao mercado neste ano, incorporando o know how de mais de nove anos de trabalho de seu proprietário, Leonir de Lima, anuncia que seu foco principal são os serviços de manutenção. Preparada para fazer a individualização da água e do gás, a Direcional irá apostar, sobretudo, na manutenção preventiva e corretiva dos sistemas já instalados, afirma Leonir.

Além disso, a empresa atua com instalação de aquecedores, lareiras, aquecimento de piscinas e recuperação de tubulação de gás, na Capital e nos municípios da Grande São Paulo. Segundo Marco Aurélio, “o leiturista da empresa colhe as informações pela rua, sem necessidade de acesso ao condomínio, através de um coletor móvel (um microcomputador portátil especializado) e uma antena bluetooth”. “Estas informações são descarregadas em nossos computadores, em uma central, onde um software especializado faz a gestão das informações, calcula os consumos e aponta a ocorrência de vazamentos e outros alarmes.” De olho nas inovações tecnológicas, com vistas a atender às necessidades dos condomínios, a Metragen destacase “pela qualidade presente em todas as etapas de nossos serviços, como pré-venda, venda, instalação, gerenciamento e manutenção.” Além da “tradição, credibilidade e precisão do sistema de medição utilizado”, acompanhados pela “maior garantia do mercado”, ressalta Marco Aurélio.

Matéria publicada na edição Nº 138 em agosto de 2009 na Revista Direcional Condomínios