Crianças: Atenção para os pequenos

Escrito por 

Para garantir uma boa convivência com os pequenos condôminos, invista em espaços para brincadeiras e em atividades dirigidas, especialmente nas férias.

Quando o condomínio 28 de Agosto foi construído, há 54 anos, áreas de lazer eram inexistentes. Entre as melhorias que a síndica Ada Marangoni vem promovendo desde que assumiu a função, há 13 anos, está a criação de um playground. Ada conta que o novo espaço agradou em cheio aos pais e às crianças com idades entre 4 e 10 anos. “Os pais alugam pula-pula e contratam barraquinhas e chegam a fazer aniversários no playground. Só não pode chover, já que o espaço é descoberto”, conta a síndica. 

Adequar os espaços às exigências da vida moderna é uma necessidade que garante melhor qualidade de vida aos condôminos. Promover atividades para as crianças é possível mesmo em condomínios antigos, como mostra a experiência de Ada. Já a síndica Ana Josefa vive num condomínio com realidade totalmente diversa daquela do 28 de Agosto. Construído há três anos, o Piazza di Toscana tem cinco torres, 168 apartamentos, e reúne diversos espaços de lazer: espaço mulher, sala de ginástica, salão de festas, espaço gourmet e espaço infantil. Recentemente Ana promoveu uma pequena reforma no local dedicado às crianças. “Pintamos as paredes e dividimos o espaço privilegiando três atividades: uma área para estudo, com lousa e mesinhas escolares, uma com TV e outra com brinquedos, para crianças de até oito anos”, argumenta. Nas janelas próximas ao local da TV, para criar um clima de “cineminha”, Ana instalou películas decoradas com personagens de filmes infantis. É claro que, mesmo contando com espaços adequados para as brincadeiras infantis (o Piazza ainda tem um grande playground e piscinas), nem tudo são flores na convivência com os pequenos. “Recentemente, algumas crianças danificaram um pilar revestido com um material semelhante a isopor. As imagens foram gravadas e os pais pagaram o custo do conserto”, diz.

A síndica Ana acredita que uma maneira de conseguir uma boa convivência com as crianças é oferecendo atividades diferenciadas. Nas férias de julho do ano passado Ana organizou uma tarde onde as crianças confeccionaram uma maletinha, feita com pote de sorvete, como sugestão de presente para o dia dos pais. Uma professora, moradora do condomínio, auxiliou Ana na atividade, que reuniu cerca de 18 crianças e aconteceu no salão de festas. “Servimos pipoca, suco e bolo. Lembro que o dia estava chuvoso e as crianças acabaram se divertindo bastante”, conta. Ana pretende repetir a atividade no final das férias de julho deste ano.

José Aparecido Soares de Campos foi síndico durante sete anos do Condomínio Vila Alto das Figueiras, com 168 casas, localizado em São Bernardo do Campo. Ele também dava prioridade à promoção de atividades para crianças especialmente nas férias escolares. Locava brinquedos infláveis e, no último dia das férias, organizava uma confraternização, com barraquinha de pastel e refrigerantes. Durante todo o ano, professores contratados dão aulas de futebol e ginástica. O sucesso das atividades é tanto, segundo Soares, que a nova gestão continua com a programação.

Mesmo condomínios que não dispõem de grandes estruturas de lazer podem oferecer atrativos para as crianças. A ecóloga Elaine Silva organiza gincanas ambientais em condomínios, envolvendo as crianças com tarefas dirigidas à ecologia. Entre as tarefas, estão localizar animais em extinção no mapa-múndi ou fazer um painel sobre a reciclagem. “Com as atividades, as crianças passam a entender a importância da coleta seletiva de lixo, por exemplo, e acabam passando o que aprenderam para os pais”, constata Elaine. Uma das oficinas preferidas é a de papel reciclado. Os moradores contribuem com cascas de beterraba e folhas secas para a confecção do papel. “Depois, cada criança leva o papel que produziu”, diz.

Matéria publicada na Edição 126 de julho de 2008 da Revista Direcional Condomínios.