Resíduos

Escrito por 

Jogue o entulho no lugar certo

Sérgio vidal é síndico do Edifício Alvorada, na Vila Mariana. Quando surge alguma reforma no prédio, ele sempre recorre a uma mesma empresa de caçambas. Escolher uma empresa conhecida evita dores de cabeça na hora de descartar esse tipo de resíduo, composto, em geral, por material de construção. “À medida que surgem os entulhos, acumulamos na garagem e depois chamamos a empresa para colocar na caçamba, que é retirada em três dias “, afirma Vidal. Já quando se trata de resíduos de um apartamento, o proprietário é responsável pelo descarte.

Em São Paulo, mais de 15 mil toneladas de lixo são produzidas diariamente. Dessas, nove mil são de responsabilidade do gerador. Mas, nem todo síndico ou dono de apartamento sabe o que fazer para se livrar do material. De acordo com o diretor do Núcleo Gestor de Entulho do Limpurb (Departamento de Limpeza Urbana), Valdecir Papazissis, existem duas situações distintas – a pequena e a grande geração de entulhos. “Se a quantidade de resíduos for de até um metro cúbico por dia, ou seja, 25% de uma caçamba, o responsável pode levar o material a um ecoponto. Podem ser descartados materiais de construção, madeiras e objetos como sofás, mesas e recicláveis. No ecoponto, esses materiais são separados e encaminhados para os locais adequados à destinação final. É uma alternativa para o gerador evitar gastos com a caçamba, já que é um serviço gratuito e, além disso, contribui com o meio-ambiente ”, ressalta Papazissis. E completa: “Os ecopontos foram criados em 2002. Hoje, são 27 unidades em operação na capital e 12 estão em obras ou processo de licitação.”

Mas, para a grande geração de entulhos, acima de um metro cúbico por dia, o síndico ou proprietário do imóvel deve contratar uma empresa para transportar o material e levar para um aterro de resíduo da construção. O serviço de aluguel da caçamba custa, aproximadamente, 120 reais. De acordo com o decreto nº 46.594/05, todas as empresas que prestam serviços de limpeza urbana em regime privado devem se cadastrar no Departamento de Limpeza Urbana (Limpurb), que fiscaliza, orienta, multa e pode cancelar a autorização, se a empresa não cumprir as normas.

“Existem cerca de 300 empresas cadastradas. No entanto, muitas ainda prestam o serviço clandestinamente. Por isso, antes de contratar, é importante verificar se o nome da empresa consta no site da Limpurb. O síndico também pode pedir para a empresa o CTR (Controle de Transportes de Resíduos), uma espécie de nota fiscal, que atesta se o entulho foi descartado de forma regular ”, recomenda Papazissis. Se a caçamba for clandestina, flagrada em local proibido ou sem sinalização, é feita a apreensão e a empresa paga multa de 750 reais, além de o gerador do resíduo também estar sujeito à multa, porque o contratante tem co-responsabilidade.

Para o síndico Sérgio Vidal a questão do descarte do entulho é importante para evitar problemas simples. “Às vezes, vejo caçambas que ficam de duas a três semanas em um local, o que é conveniente para os transportadores, que vão somente uma vez ao prédio para coletar os entulhos. Por isso, o síndico deve cobrar a retirada o mais rápido possível. Além de atrapalhar pedestres e carros, o lixo acumulado prejudica a imagem do edifício.”

O site da Limpurb é www.limpurb.sp.gov.br e o telefone para denúncias 156. Conheça os endereços dos ecopontos no seguinte link:
http://portal.prefeitura.sp.gov.br/secretarias/servicoseobras/projetos/ecoponto/0001

Matéria publicada na Edição 127 de agosto de 2008 da Revista Direcional Condomínios.