Radiocomunicação

Escrito por 

É cada vez mais freqüente o uso de aparelhos radiocomunicadores em condomínios. Geralmente, os porteiros, zeladores e funcionários da manutenção são os que mais aproveitam a tecnologia. Com a vantagem de encontrar as pessoas de forma rápida, os equipamentos são indispensáveis em um cotidiano que exige velocidade e praticidade.

Com mais de 12 anos no setor e com certificação ISO 14001, a Bapi Telecomunicações é especializada em vendas, locação, manutenção e desenvolvimento de sistemas de radiocomunicação, entre os mais diversos modelos – rádios bidirecionais, rádios modem-digital, wireless canopy, antenas profissionais e acessórios. Desde 2004, a empresa foi habilitada como "Revenda Premium Motorola", mas também trabalha com outras marcas. A supervisora de vendas da Bapi, Daniele Cruz, afirma que muitas pessoas não conhecem a diversidade de radiocomunicadores. "Existem muitos aparelhos simples, profissionais e semi-profissionais. Cada cliente compra de acordo com as necessidades do local. Os preços mais baixos são dos aparelhos mais simples, que podem sofrer desgaste rápido, como por exemplo, nos botões", conta. Ela explica que, de início, os síndicos fazem uma experiência com um equipamento de baixo custo. "Em geral, os condomínios compram o "talk about", aparelho com 0,5 watt de potência, que não tem custo de manutenção, pois não existem peças de reposição, e atinge um quilômetro de distância sem barreiras", aponta. 

Segundo a supervisora de vendas, os administradores do condomínio constatam as vantagens em ter radiocomunicadores no dia-a-dia e buscam aparelhos mais potentes após o primeiro teste: "Depois de 12 meses, o condomínio percebe a necessidade de um equipamento com mais funções. O EP 450, em geral, é o segundo modelo escolhido pelos prédios. Esse equipamento tem custos, mas conta com abrangência de cinco a sete quilômetros em linha reta, além de ter dois anos de garantia."

Para quem procura sofisticação e mais recursos tecnológicos em um radiocomunicador, o DTR é o modelo ideal. Daniele ressalta que essa é uma das novidades da Motorola. "Esse rádio conta com linha digital, transmissão de mensagem, monitoramento remoto, chamada seletiva e privativa (individual ou coletiva) e atinge três quilômetros em linha reta sem barreiras", comenta. Ela afirma que esses aparelhos são muito solicitados por prédios de alto padrão e são comercializados por unidade. "Já os talk about são vendidos em pares", completa.

Alguns locais preferem fazer a locação dos aparelhos. De acordo com a supervisora de vendas da Bapi, nesse caso, não há preocupação com a manutenção, pois a empresa é responsável por esse serviço, conforme o contrato estabelecido. Seja qual for a forma de investimento escolhida pelo condomínio, a verdade é que os radiocomunicadores vieram para ficar. "Quem compra ou aluga, normalmente, continua investindo na idéia porque traz muitos benefícios ao local", acredita. 

A Bapi Telecomunicações também dispõe de serviços de assistência técnica. A empresa conta com uma equipe de técnicos treinados para utilizar laboratórios e realizar testes e medição nos aparelhos. Além dos equipamentos, a Bapi também oferece opções de acessórios. "Há estojos de couro para o aparelho não desgastar tão rápido, fone de ouvido se o usuário preferir se deslocar e utilizar de forma mais prática e com privacidade, já que somente ele vai ouvir quem está do outro lado da linha", garante. E completa: "Os rádios também podem ter bateria sobressalente com maior tempo de duração. Uma bateria pode durar, por exemplo, 19 horas. Isso é importante para profissionais de condomínios, que trabalham 24 horas."

Para alguns aparelhos, no entanto, é necessário regularização da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações). O departamento de engenharia da Bapi Telecomunicações realiza esse tipo de serviço. A empresa providencia adequação às novas exigências e parâmetros de exposição à radiação eletromagnética.

Matéria publicada na Edição 131 dez/08 - jan/09 da Revista Direcional Condomínios.