Elevadores - Reformar é modernizar

Escrito por 

Você já parou para pensar na mudança estética que os elevadores sofreram ao longo do tempo? As antigas cabines de madeira transformaram-se em locais onde se pode encontrar modernidade, tecnologia e beleza. Geralmente, as reformas das cabines incluem as paredes, pisos, tetos e botoeiras. Aço inoxidável, fórmica e folheado de madeira são os tipos de materiais mais comuns utilizados no revestimento dos elevadores. Botoeiras com indicadores digitais e botões que acendem na cor azul – substituindo o tradicional vermelho – e telas de LCD também oferecem ao ambiente um ar de sofisticação.

O diretor do Seciesp (Sindicato das Empresas de Conservação, Manutenção e Instalação de Elevadores do Estado de São Paulo), Robert Bilton, afirma que o design de um elevador valoriza o imóvel. Segundo ele, a maioria dos prédios utiliza o aço inoxidável na mudança da imagem dos equipamentos. “O que atrai nesse material é a facilidade de aplicação, bem como durabilidade e praticidade de higienização”, conta. Além disso, ele aponta que, antes do embelezamento, deve-se observar as características do ambiente. “É indicado verificar se o prédio é residencial ou comercial e também que tipo de elevador irá receber os materiais da reforma. A capacidade da máquina também deve ser analisada, já que a cabine pode ter um aumento de peso com a aplicação de determinados materiais. Isso pode afetar o desempenho do equipamento, provocando, por exemplo, uma redução na velocidade e desnivelamento da cabine”, alerta Bilton. 

O síndico profissional Nilton Savieto concorda que é importante observar o tipo de prédio em que os serviços serão realizados. "Cada condomínio tem uma arquitetura diferente. O ideal é haver harmonia entre o elevador e o piso dos andares e do hall", lembra. O síndico destaca que os edifícios também procuram inovar nas botoeiras. "Hoje, muitos prédios comerciais de São Paulo, por exemplo, utilizam um sistema em que a botoeira é instalada fora do elevador e a pessoa define o andar antes de entrar na máquina. A botoeira não fica dentro da cabine e isso dá um ar mais clean e moderno ao ambiente", ressalta o síndico. 

Qualquer que seja a modernização feita, ela deve ser aprovada em assembléia. O diretor do Seciesp acrescenta que é importante sempre contar com empresas especialistas, inclusive que disponham de arquitetos para a elaboração do projeto. "Na execução destes serviços, os profissionais devem ser altamente especializados nas especificações dos materiais e, principalmente, na instalação", comenta Bilton.

Para um serviço de embelezamento seguro, a recomendação é tomar algumas precauções antes da contratação. “A empresa deve ter um histórico de qualidade nos serviços prestados. Por isso, a recomendação é pesquisar e, se possível, visitar a empresa e conversar com os responsáveis”, avalia o diretor do Seciesp. O investimento realizado na obra compensa. “O embelezamento da cabine, além de tornar o ambiente bem mais agradável, valoriza o condomínio”, arremata.

Matéria publicada na Edição 131 dez/08 - jan/09 da Revista Direcional Condomínios.