No topo do prédio - Antena

Escrito por 

Com o sinal em ordem

Na hora de assistir à televisão, nada melhor do que ligar no canal escolhido e ter qualidade de imagem. Certo? As antenas de TV coletivas recebem o sinal de canais abertos VHF e UHF e o enviam por um cabo para todos os apartamentos do edifício. Apesar de atualmente muitas pessoas preferirem a TV por assinatura pela quantidade de opções de canais, um grande número de condomínios não dispensam as antenas coletivas de TV.

Para Huber Bernal Filho, diretor da Teleco, empresa de consultoria de telecomunicações, o sistema é vantajoso para os moradores. “Antes, as pessoas mantinham individualmente as instalações, ou seja, cada condômino era dono de uma antena. Mas, o custo com manutenção era maior. Agora, a facilidade é que em apenas um cabo pode-se receber o sinal para todos os apartamentos”, explica. Bernal destaca ainda que o sistema mudou ao longo do tempo. “Muitos prédios antigos tiveram que adequar o sistema de TV às necessidades dos moradores. Antigamente, não existia UHF, por exemplo, e houve uma adaptação”, aponta o diretor, completando que, hoje, as construtoras já entregam os novos condomínios com sistema de antena de TV coletiva.

Apesar de os prédios não serem obrigados por lei a fazer esse tipo de instalação, o gerente de condomínio Ednaldo Pereira, afirma que grande parte faz uma tubulação específica para a antena coletiva. “Geralmente, há uma prumada de fio no topo do prédio até os apartamentos e o cabo é ligado na televisão”, diz. Segundo ele, também podem ser utilizados amplificadores de sinal, que melhoram a recepção da antena até a TV. Ele ressalta que a principal vantagem para os moradores é a economia: “Eles só têm direito aos canais abertos, mas não pagam pelo equipamento.”

No entanto, é preciso tomar alguns cuidados com as antenas coletivas, pois alguns problemas são freqüentes. “Em um condomínio, muitas pessoas mexem nas instalações no topo do prédio. Isso causa um grande número de reclamações de moradores”, conta Pereira. Ele afirma que algumas medidas são tomadas para evitar a situação: “Pode-se dificultar o acesso à antena colocando cadeado nos alçapões. Se houver algum tipo de tentativa, o síndico pode notificar ou multar o condômino.” Já Huber Bernal alerta que os cabos perdem a qualidade ao longo do tempo. “Além disso, como todos os aparelhos de TV estão ligados no mesmo sistema, às vezes, uma conexão errada pode prejudicar todo o funcionamento”, comenta o diretor.

A manutenção correta das antenas coletivas de TV poderia evitar grande parte dos problemas. Bernal aconselha a utilização da mesma empresa para elaborar o projeto de instalação e fazer o acompanhamento no topo do prédio. “É preciso sempre realizar uma revisão, porque os cabos se deterioram e o condomínio pode ficar sem sinal. Não é recomendado que isso seja feito pelos funcionários do prédio, mas sim por uma empresa especializada e idônea. Os profissionais têm orientação necessária para saber, por exemplo, quais peças devem ser substituídas”, diz o diretor da Teleco.

Matéria publicada na Edição 129 de outubro de 2008 da Revista Direcional Condomínios.