Controle de Pragas

Escrito por 

Aposta na sustentabilidade e na saúde ambiental

Produtos cada vez mais eficientes, sustentáveis e voltados a assegurar a saúde humana e ambiental compõem o portifólio das grandes empresas que realizam o controle de pragas. Elas apresentam selos de certificação que tranquilizam seus clientes quanto à qualidade dos serviços (ISO 9001) e responsabilidade em relação ao meio ambiente (ISO 14001) e segurança no trabalho (OHSAS 18001). Além disso, investem em gestão inovadora. A Bayer CropScience, por exemplo, implantou o programa “Protegendo o Amanhã”, explica o gerente de marketing da área de Saúde Ambiental, Luis Fernando Macul. “Ele é baseado em três pilares básicos: saúde e bem-estar, harmonia com a natureza e pessoas e parcerias.”

No primeiro caso, a empresa busca “soluções que melhoram a saúde e a qualidade de vida”. No segundo, a otimização “dos benefícios sustentáveis dos produtos, reduzindo os resíduos e apoiando a correta gestão ambiental”. Como terceiro pilar, o comprometimento com o desenvolvimento humano. A área de saúde ambiental da Bayer está no País há mais de 50 anos, afirma o gerente. Ela atua com duas linhas, a de raticidas, em formato isca e pó, e a de inseticidas, nas apresentações gel, pó e líquido. “Conseguimos abranger as necessidades de cada tipo de praga ou ambiente, pois, por exemplo, para o tratamento de baratas em uma cozinha, o ideal é que o produto não altere a rotina do local. A opção em gel proporciona uma aplicação mais limpa e sem cheiro.”

Segundo Fernando, ratos, baratas e formigas estão entre as pragas urbanas mais frequentes. O período ideal de inspeção e controle depende do tipo de ambiente e praga e do grau de infestação. De qualquer maneira, o gerente recomenda um manejo integrado, como vedar frestas, não deixar alimentos expostos e depositar o lixo em locais de descarte adequados, além de retirá-lo com frequência. “São atitudes que, somadas ao controle químico, ajudam a prevenir e controlar as pragas.” A Bayer CropScience investe constantemente em pesquisa e inovação, destaca Fernando, observando ainda que outro grande diferencial da empresa é o suporte técnico oferecido em todo o Brasil através de seus representantes ou pelo “Tele Bayer” e pela página na internet.

Outra empresa que aposta em gestão inovadora é a CCPU. As certificações (ISO e OHSAS) coroam um trabalho focado no respeito e na qualidade do atendimento aos clientes. Marco Antonio Bertussi, engenheiro agrônomo e diretor executivo da CCPU, afirma que a empresa utiliza somente produtos de primeira linha, “registrados e autorizados pelos órgãos competentes, como o IBAMA e a ANVISA”. O diretor ressalta ainda que trabalha com uma equipe própria de colaboradores. “Somos mais de 70 profissionais em todo o Brasil, integrados através de sistemas de controle de gestão e preparados para atender com qualidade e eficiência a todos os clientes.” 

Esses são os grandes diferenciais da empresa, prossegue Marco Antonio. Surgida em 1998 e atendendo em Estados do Sudeste, Sul e Nordeste, a CCPU está em processo de expansão para todo o Rio Grande do Sul. A carteira de serviços da empresa inclui tratamento fitossanitário e quarentenário, por exemplo, mas nos condomínios, além do controle de pragas como ratos e insetos rasteiros, a CCPU atua sobre os cupins. “Eles podem causar grandes danos patrimoniais”, adverte o diretor. Para este tipo de controle, a empresa utiliza tanto o sistema convencional (com aplicação e injeção de produtos químicos) como o Sentricon (não utiliza barreiras químicas, mas iscas que levam à eliminação gradual da colônia). O sistema não causa dano ou cheiro nem obriga à desocupação de armários, observa Marco Antonio. 

Também a Nikkey desenvolve um trabalho forte no combate aos cupins em condomínios. A empresa apresenta um portifólio bem mais amplo de serviços, como tratamento fitossanitário e quarentenário, entre outros, mas junto aos condomínios sua grande especialidade é o controle desta praga, destaca o gerente comercial Robson Nunes. Aliás, a primavera e o verão são as estações em que síndicos, condôminos e administradores devem estar mais atentos aos riscos de infestação. “A primavera é a época das revoadas, ou seja, período de formação de novas colônias. Já o verão é o período de crescimento e de maior ataque dos cupins”, diz. Robson aconselha as pessoas a chamarem uma inspeção caso observem sinais de terra, como túneis e ramificações, ou a presença de grânulos de madeiras e aleluias (reprodutores).

A Nikkey está há 12 anos no mercado e possui 13 unidades próprias operando no Brasil. Entre seus diferenciais, Robson destaca a certificação pela ISO 9001 e 14001 e pela OHSAS 18001, além da atuação qualificada de seus profissionais, como engenheiros agrônomos, químicos e “técnicos de vasta experiência”. No combate aos cupins, a empresa aplica o sistema Sentricon, proporcionando “segurança para toda família, uma vez que pode ser usado em propriedades próximas a poços (nascentes) ou outras fontes de água. Além disso, não há necessidade de as pessoas ou animais deixar a propriedade durante a aplicação.”

São Paulo, 3 de outubro de 2009