Garanta a segurança com manutenção

Escrito por 

O sistema de gás de um condomínio é composto pelo conjunto de tubulações e equipamentos, aparentes ou embutidos, destinados ao transporte e controle de fluxo de gases. O sistema de instalações de gás pode ter duas origens: no ponto de fornecimento da companhia concessionária do serviço público de abastecimento de gás (gás de nafta ou gás natural) ou nos reservatórios de GLP (gás liquefeito de petróleo). Desses pontos, partem as ramificações para os apartamentos.

No caso de prédios servidos por gás GLP, há dois tipos de medição de consumo: a distribuição social (que não tem uma medição inpidualizada, e a conta do prédio é pidida pelo número de apartamentos ou pela fração ideal) e a inpidualizada por medidores. Em ambos os casos, os medidores (especialmente os com mais de 10 anos de uso) devem sofrer uma revisão cuidadosa. "Eles podem apresentar vazamentos e prejudicar determinado morador ou o condomínio", orienta Sérgio Moisés, consultor gasista. Da mesma maneira, os reguladores de pressão (que diminuem a pressão do gás que sai do butijão) têm validade de 5 anos e devem ser trocados nesse prazo. O consultor recomenda que sejam seguidas as orientações do fabricante quanto à substituição das peças.

Segundo Sergio, em se tratando de gás, são indicadas verificações frequentes nas instalações e nos equipamentos de consumo (fogão, forno, aquecedor). "São comuns acidentes envolvendo gás até em prédios novos. Muitas vezes, as construtoras não utilizam material normatizado, ou a tubulação não foi feita por mão-de-obra especializada em gás e nem foi feito um teste de estanqueidade para checar a existência de vazamentos", atesta.

São Paulo, 2 de novembro de 2009