Panamby, Morumbi & Vila Sônia: A defesa da vida, em todos os sentidos

Escrito por 

A preocupação com a segurança e também com a preservação de extensas áreas verdes domina o dia a dia da população de toda região conhecida como Morumbi, na zona Sul de São Paulo, a qual se estende no eixo do Rio Pinheiros em direção à represa Guarapiranga e encontra, à Oeste, a divisa com o município de Taboão da Serra. “Temos o maior potencial construtivo da cidade de São Paulo, com grande reserva de vegetação, mas aqui o ‘bicho pega’ em termos de segurança”, declara a pedagoga Rosa Richter, ex-síndica, ex-presidente do Conseg do Portal do Morumbi, presidente da Associação Panamby e uma das principais ativistas do local.

Rosa participa, por exemplo, do projeto Rede Comunitária de Segurança, que une os condomínios da região e as bases da Polícia Militar. Ela defende que síndicos, moradores, empresários e autoridades, entre outros, se unam para reverter uma realidade dramática, que vem produzindo casos diários de violência contra a população. No penúltimo domingo do mês de agosto, por exemplo, houve carreata a partir da Av. Giovanni Gronchi em luto contra o assassinato de um de seus moradores, morto durante tentativa de assalto perto de um shopping center.

“Estamos defasados na proporção entre a população e o número de policiais, o governo precisa assumir o papel dele, não podemos descuidar, em hipótese alguma, do problema da segurança. Mas também não acredito em um País que não tenha como prioridade a educação, a saúde, só que essas são conquistas mais de longo prazo”, analisa a pedagoga.

Feita de contrastes, a extensa região que envolve a Vila Andrade, o Panamby e Vila Sônia está próxima de 30% das comunidades carentes de São Paulo, como Paraisópolis, tema de novela atual da TV Globo. De outro modo, possui amplos bolsões verdes ainda preservados, ameaçados pelo adensamento, muitos com exemplares nativos da Mata Atlântica.

“O VERDE ESTÁ EM TODO CONTEXTO”

A vegetação do Condomínio Portal do Morumbi, primeiro na região, vem sendo formada há 40 anos e hoje soma área maior que o do Parque da Aclimação, em SP

 

Nesse aspecto, o pioneiro Condomínio Portal do Morumbi, de 40 anos, dá uma receita de vanguarda: foi construído em área de 164 mil m2, boa parte ocupada pela vegetação, espaço que recebeu planejamento e investimentos constantes ao longo dos anos e soma hoje cerca de 125 mil m2. O verde está distribuído em seis bosques, gramados, jardins, árvores isoladas ou em pequenos grupos. Há uma equipe própria de jardinagem, composta por 13 profissionais e, segundo o chefe do setor, Ulisses Donisete da Silva, desde 2001 foram plantadas 300 espécies nativas do Brasil. Outras 40 mudas diversas figuram no cronograma de plantio para 2015. A área verde do Portal supera a de muitos parques paulistanos, como o da Aclimação (com 112 mil m2).

O gerente geral do condomínio, Gunnar Georgi, afirma que “o verde está em todo contexto” do empreendimento de oito torres e 800 unidades residenciais, característica que mantém muitos moradores residindo há décadas no local. Uma trilha margeia boa parte dos limites geográficos do Portal e possibilita longas caminhadas, além de um bom descanso em contato com a mata.

Todo esse patrimônio arbóreo recebe monitoramento anual do IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas), não apenas pela idade quanto pelo porte das árvores. Mas Gunnar lembra que o condomínio se notabiliza ainda por outro pioneirismo: ele construiu um shopping externo, que pudesse prover os moradores de comércio e serviços, em uma época em que o Morumbi começava a ser desbravado. O shopping atende à população do entorno do condomínio, agora uma região densamente verticalizada, que necessita, porém, de resolver o gargalo da segurança e promover uma reestruturação do sistema viário que dê conta do trânsito, aponta Gunnar Georgi.

Matéria publicada na edição - 205 de set/2015 da Revista Direcional Condomínios

Não reproduza o conteúdo sem autorização do Grupo Direcional. Este site está protegido pela Lei de Direitos Autorais. (Lei 9610 de 19/02/1998), sua reprodução total ou parcial é proibida nos termos da Lei.