Nova tendência do fitness, treino funcional usa pouco espaço das academias. Oriente seu condômino!

Escrito por 

O treinamento funcional vem conquistando seu espaço dentro de academias tradicionais e principalmente dos condomínios residenciais, pois sua aplicação não exige grandes espaços e se utiliza de equipamentos alternativos, como kettlebell, corda naval, fita de suspensão, caixa de salto, sandbags, tensores elásticos, além do próprio peso corporal. Isso torna o método mais atraente e motivador, ajudando as pessoas na melhora das funções básicas do seu cotidiano, como subir escadas, sentar e levantar, pegar algo pesado do chão etc.

De acordo com Clark (citado por Kalysson Araujo Dias, no livro Treinamento funcional: Um novo conceito de treinamento físico para Idosos. Cooperativa do Fitness), os movimentos funcionais referem-se a exercícios associados, 'multiplanares' e que abrangem estabilização e produção de força e resistência. Em outras palavras, o treinamento funcional trabalha movimento e não músculos isolados, assim envolvendo todas as capacidades físicas como: equilíbrio, força, velocidade, coordenação, flexibilidade e resistência, de forma integrada por meio de movimentos dinâmicos. Ou seja, esta possibilidade de combinar diferentes movimentos, em inúmeras variações, compõe um treino funcional.

Qualquer pessoa pode realizar este tipo de treinamento, desde que esteja clinicamente liberada, e acompanhada de um educador físico ou personal, profissionais que saberão levar em consideração as limitações, habilidades e objetivos do cliente.
A seguir, apresenta-se exemplo de treinamento mais convencional em comparação com um funcional.

Na estação de musculação (Figura 1), trabalha-se apenas um plano e eixo do movimento, isolando assim um músculo específico. No caso da imagem, a cadeira extensora isola o quadríceps.

Figura 1: Exemplo de treino na estação de musculação

Em contrapartida, o treinamento funcional (Figura 2) utiliza o mesmo músculo, mas acaba associando outros músculos ao mesmo movimento. No caso da imagem, o exercício é o squat and press, que mobiliza quadríceps, glúteos, core, bíceps e deltóides. Com isso, o treinamento funcional se torna mais eficiente, rápido, motivador e proporciona alto gasto calórico.

Figura 2: Exemplo de treinamento funcional

Portanto, com o treinamento funcional há possibilidade de se trabalhar os mesmos músculos da estação de musculação, com muito mais eficiência e qualidade, pois estimula o recrutamento de vários grupamentos musculares na execução de um só movimento. Outras vantagens proporcionadas pelo treino funcional são:

- Melhora da consciência corporal e postural;
- Aquisição de força e equilíbrio, muito importantes para pessoas acima de 60 anos;
- Diminuição da incidência de lesões;
- Melhora da resistência cardiovascular; e,
- Aumento da flexibilidade.

O início da prática nesta modalidade é imediato, mas, repito, torna-se fundamental a orientação do usuário da academia de um condomínio por um profissional da área, principalmente se o cliente tem histórico clínico de pressão arterial, diabetes, dores articulares e não tem uma boa consciência corporal. A vantagem de haver um personal na aplicação do treinamento encontra-se na orientação e correção dos movimentos, buscando sempre a melhora da qualidade da prática, além do desenvolvimento e adaptação do cliente a novos estímulos, que irão melhorar sua saúde e a estética muscular.

Matéria complementar da edição - 207 de nov/2015 da Revista Direcional Condomínios

Não reproduza o conteúdo sem autorização do Grupo Direcional. Este site está protegido pela Lei de Direitos Autorais. (Lei 9610 de 19/02/1998), sua reprodução total ou parcial é proibida nos termos da Lei.

Anderson Carlos é graduado em Educação Física, pós-graduado em Fisiologia do Exercício e possui cursos de atualização em treinamento funcional.

Mais informações: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. .