Entrevista / A gestão dos acessórios também é necessária, diz a síndica profissional Roseane M. Barros Fernandes

Escrito por 

Síndica profissional, Roseane M. Barros Fernandes tem experiência em implantação de condomínio, como o que reside, um empreendimento com ampla área de lazer localizado no Morumbi, zona Sul de São Paulo. Antes ela atuou em outro residencial por três mandatos consecutivos. No momento, Roseane atende a outros dois condomínios, totalizando 16 anos no segmento (iniciou como síndica local).

Ela tem observado transformações significativas nas necessidades por equipamentos, pois “antes os condomínios não tinham tantas exigências, havia poucas áreas comuns (como salões de festas e piscina) e os acessórios pediam uma lista mais resumida, básica, mais simples e com menos detalhes”. Atualmente, no entanto, “temos os chamados espaços ‘pet’ e a administração se vê obrigada a compor a área com acessórios e dispositivos de sacos de lixo e lixeiras”, exemplifica.

A seguir, Roseane (Foto ao lado) mostra que este setor também demanda organização e planejamento por parte do gestor, em entrevista à revista Direcional Condomínios.

CONDOMÍNIO CLUBE

“Cada condomínio, clube ou não, é um universo único. Os acessórios são definidos de forma colegiada com o Conselho, mas as diferenças podem chegar até à exigência de um desfibrilador na portaria (aparelho utilizado em casos de arritmia ou parada cardíaca). Deve haver prioridades na montagem desta infraestrutura. No caso do condomínio clube, isto é de suma importância. Por exemplo, como eles costumam ter grandes piscinas, as raias são bem-vindas já no início da vida do empreendimento. O restante dos itens é similar, mas com quantidade superior de materiais de trabalho; acessórios para os banheiros das áreas comuns; utensílios e equipamentos para a zeladoria e equipe de limpeza; forro para os elevadores; tapetes; escadas; contêineres de lixo; quadros de aviso; mobiliário dos vestiários tanto para os funcionários quanto para os moradores na área do clube etc. Em alguns casos, as churrasqueiras coletivas demandam freezers ou algum eletrodoméstico específico.”

CONDOMÍNIO PADRÃO

“Os condomínios mais simples demandam acessórios como lixeiras, cadeiras para a portaria, acessórios dos banheiros e vestiário dos funcionários, entre outros. Certa vez, o Conselho de um residencial optou por não comprar as tampas dos vasos sanitários dos banheiros da área comum; elas só foram adquiridas oito meses após a instalação do empreendimento. Esta é uma decisão que merece cautela, uma vez que pode gerar muita insatisfação. Finalmente, em alguns casos, os equipamentos para uso da equipe de limpeza podem ser obtidos através de locação com as empresas prestadoras de serviço, minimizando as despesas iniciais.”

ENXOVAL BÁSICO

“A lista depende da infraestrutura que o local oferece, mas, no geral, é indispensável proporcionar condições mínimas de trabalho para a equipe alocada no condomínio e conforto básico aos moradores. Assim, poderíamos citar: acessórios para os banheiros, mesa e cadeiras para a copa dos funcionários, lixeiras, cadeira para a portaria, murais ou quadros de aviso, equipamentos básicos de limpeza.”

REPOSIÇÃO

“O Regulamento Interno costuma 'proteger' o condomínio em caso de dano aos acessórios, obrigando à sua reposição quando detectado que o mesmo foi causado por condômino. Adicionalmente, a zeladoria, em sua ronda diária, deve estar atenta a todos os itens das áreas comuns e fazer uma manutenção preventiva e não corretiva, minimizando os custos de reposição. Junto com o síndico, recomenda-se planejar a reposição sem impacto para as contas. O importante é não permitir que a ela aconteça em só um momento e seja feita ao longo dos anos, através de necessidades pontuais.”

COTAÇÃO E COMPRA

“Habitualmente, na instalação de um condomínio, a administradora fornece o orçamento com três cotações em uma das primeiras reuniões do Corpo Diretivo. No geral, a compra é feita após o levantamento das três cotações, com três fornecedores diferentes e mediante aprovação do Conselho. Eu, particularmente, solicito assinatura dos Conselheiros nas planilhas de cotação para que não haja dúvidas futuras. Essas planilhas fazem parte das pastas de prestação de contas.”

ITEM DE PREVISÃO ORÇAMENTÁRIA PRÓPRIA?

“Para os condomínios com vida regular já estabelecida, a previsão orçamentária deve contemplar custos de manutenção em geral, além das reposições necessárias. Nas implantações, a assembleia de instalação já delibera um rateio extra para suportar a despesa com a compra desses acessórios. É importante ressaltar que ainda que a compra seja de um item considerado ‘pequeno’, o Conselho deve participar desta decisão e os condôminos ter conhecimento das ações, para que sintam segurança em relação ao destino do seu dinheiro.”

Matéria publicada na edição - 215 - agosto/2016 da Revista Direcional Condomínios

Não reproduza o conteúdo sem autorização do Grupo Direcional. Este site está protegido pela Lei de Direitos Autorais. (Lei 9610 de 19/02/1998), sua reprodução total ou parcial é proibida nos termos da Lei.