No encontro das síndicas, foco aos riscos no condomínio

Escrito por 

Em sua 7ª e maior versão, o encontro anual da Direcional Condomínios junto às síndicas ocorreu no último dia 9 de fevereiro, no Auditório Paulista Premium. O tema do evento foi Gestão de Riscos no Condomínio, com palestra do consultor Carlos Alberto dos Santos.

Mais uma vez, a capa da edição de março homenageia o Dia Internacional da Mulher (comemorado em 8/03) com a cobertura deste momento especial, que é “o evento de coração da revista”, conforme pontuou a diretora Sônia Inakake. O encontro teve o patrocínio da Colorcryl (Pintura e Restauração de Fachada), Júpiter (Desentupidora e Controle de Pragas) e Nova Brasil (Terceirização de Serviços).

POR UMA GESTÃO SEM VACILOS

Um público 40% maior de gestoras de condomínios, entre síndicas orgânicas, síndicas profissionais, algumas subsíndicas e gerentes prediais, participou do 7º Encontro em Homenagem às Síndicas, ocorrido no último dia 9 de fevereiro, em São Paulo (Capital). E mediante o tema central do evento – “Gestão de riscos no condomínio: Evitando acidentes e a responsabilização dos síndicos” -, as 72 mulheres presentes, além de convidadas especiais, como a Profa. Rosely Schwartz, puderem observar que a administração do condomínio não permite vacilos. A hesitação, o descuido, a postergação, o desconhecimento e a falta de preparo e/ou orientação dos funcionários do condomínio podem gerar acidentes com pessoas e animais, bem como danos ao patrimônio e interrupções em sistemas básicos, como portões, elevadores, abastecimento de água, energia etc.

Palestra sobre o tema foi proferida pelo consultor Carlos Alberto dos Santos, profissional proveniente da área de seguros. Segundo explicou ao público, o objetivo de uma análise de riscos é mitigar as vulnerabilidades das instalações e também das operações, envolvendo a parte de incêndio, hidráulica, bombas, válvulas redutoras, elétrica, para-raios, elevadores, iluminação, portões, coberturas etc. Qualquer sinistro que venha a ocorrer por deficiência de uma instalação ou operação poderá gerar negativa de ressarcimento por parte da seguradora, destacou Carlos Alberto.

Segundo o palestrante, a gestão de riscos é diferente da vistoria ou inspeção predial, a qual deverá ser contratada junto a um especialista em patologias estruturais. Já o olhar propiciado pela gestão de riscos permite identificar determinados eventos ou condições físicas e materiais que possam ocasionar acidentes ou incidentes ou, ainda, dificultar uma ação emergencial. Isso inclui desde o hábito equivocado de se armazenar objetos estranhos no barrilete, centro de medição e casa de máquinas dos elevadores, ao trabalho sem acompanhamento do prestador de serviços.

Entre os inúmeros exemplos citados, ilustrados em fotos ou vídeos durante a palestra, estão:

- Prédios que disponibilizam mangueiras nos andares com extensão insuficiente para atingir o foco de incêndio dentro de uma unidade (e, portanto, com comprimento fora da norma dos bombeiros);

- Barriletes sem identificação das prumadas e dos registros, dificultando a ação do zelador quando tiver que fechar determinado ramal em caso de vazamento;

- Tubulação de gás pintada de vermelho, cor que deve ser destinada ao sistema de incêndio. A situação está fora de norma e representa, sobretudo, perigo para a edificação.

Incorporar a observância dessas situações na administração cotidiana do condomínio ajuda o síndico a planejar a manutenção, realinhar o trabalho da equipe (principalmente zelador, manutencistas e prestadores de serviços) e programar os investimentos nas adequações necessárias. Conforme ilustrou Carlos Alberto dos Santos, os zeladores devem monitorar o dia a dia dos prédios e as instalações, olhando em todas as direções.

PRESTADORES DE SERVIÇOS

As síndicas ficaram particularmente interessadas na complexidade do sistema de proteção e combate ao fogo das edificações, uma área sempre vulnerável quando os condomínios se encontram com instalações desatualizadas às normas técnicas, ou com manutenção irregular, inadequada e, em alguns casos, adulterada. A Profa. Rosely Schwartz, convidada especial do evento, aproveitou, por sua vez, o tema da palestra para alertar as síndicas quanto aos riscos inerentes às atividades de manutenção, reforma e até limpeza, realizadas por prestadores de serviços, a exemplo de grave acidente que a atingiu no final de 2014.

Na época, Rosely acompanhava um problema gerado durante a manutenção no portão de ferro da garagem do condomínio em que mora, quando acabou atingida. O portão bateu em suas pernas, provocou sérias fraturas em ambas, demandou cirurgias e dois meses de internação hospitalar. A professora publicou um depoimento no site da Direcional Condomínios sobre o assunto, destacando a necessidade de os gestores tomarem medidas preventivas mediante qualquer intervenção que vá ser realizada no prédio (O texto está disponível para leitura no site www.direcionalcondominios.com.br. Localize-o a partir do link Colunistas/Rosely Benevides de Oliveira Schwartz, sob o título “Os síndicos estão preparados para evitar riscos de acidentes?”).

Um dos erros mais comuns entre condomínios é a falta de identificação das tubulações (Foto da esquerda) conforme determina norma técnica (Foto da direita). Isso traz riscos à operação e segurança do prédio.

PATROCINADORES EXPÕEM SERVIÇOS ÀS SÍNDICAS

As comemorações promovidas pela Direcional Condomínios junto às síndicas demandam infraestrutura e logística, cujos custos são arcados por patrocinadores. As entradas são gratuitas e o evento oferece café na recepção, coffee-break, pequenos brindes e também sorteios. No encontro deste ano, a parceria foi realizada com a Colorcryl, Júpiter e Nova Brasil, que puderam expor seus serviços às gestoras e tirar dúvidas de suas respectivas áreas de atuação.

- A COLORCRYL (Pintura e Restauração de Fachadas) está no mercado há 20 anos. A empresa exibe mais de mil condomínios atendidos ao longo de sua trajetória e esteve representada no evento pelos empresários Bruno Ramalho (Foto) e Henrique Gomes da Silva. Segundo Bruno, o principal objetivo da empresa é valorizar o imóvel tratando adequadamente a fachada do condomínio. Por isso, o gestor destacou o fato de estar atendendo hoje, pela terceira vez, a uma mesma edificação;

- A JÚPITER (Desentupidora e Controle de Pragas) tem mais de 30 anos de mercado, 14 unidades e atendimento 24 horas, executando serviços de desentupimento, controle de pragas, análise de água etc. No encontro das síndicas, a Júpiter foi representada por dois de seus cinco sócios, Talita Pereira de Sousa e Anderson Aparecido (Foto). Com uma apresentação didática, Anderson pontuou cada manutenção necessária ao condomínio, para que se garanta a saúde dos moradores e usuários;

- NOVA BRASIL (Terceirização de Serviços): Um dos diferenciais da empresa, estabelecida em 2006, com unidades em São Paulo, São Bernardo do Campo e Rio Claro (SP), está nos processos internos de seleção e treinamento de sua mão de obra, destacou o gestor Moacyr Schittino, presente no evento com a consultora comercial Cilene Brandão (Foto). A Nova Brasil fornece serviços diversos aos condomínios, de portaria, segurança e limpeza à zeladoria. A empresa dispensa as multas rescisórias nos contratos. “A Nova Brasil se garante com a qualidade dos serviços”, destacou Moacyr.

 

 

 

Matéria publicada na edição - 221 de mar/2017 da Revista Direcional Condomínios

Não reproduza o conteúdo sem autorização do Grupo Direcional. Este site está protegido pela Lei de Direitos Autorais. (Lei 9610 de 19/02/1998), sua reprodução total ou parcial é proibida nos termos da Lei.