O papel da assessoria esportiva na sociabilização e inclusão dentro dos condomínios

Escrito por 

Condomínio que tem a presença da assessoria esportiva para organizar e orientar as suas atividades nas áreas comuns funciona bem!

Essa frase ouvida dos gestores e pais em muitos empreendimentos acaba por retratar bem o papel da assessoria esportiva dentro dos condomínios residenciais. Isso ainda é mais verdadeiro se considerarmos a realidade de que existe uma gama de oportunidades não exploradas por inúmeros condomínios. Eles podem utilizar a expertise das assessorias esportivas para a promoção do conceito de Saúde da OMS (Organização Mundial da Saúde), que diz: "É o estado de bem-estar físico, mental e social e não somente ausência de afecções e enfermidades".

Também segundo o Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância), as atividades físicas e as brincadeiras fortalecem o processo de desenvolvimento e aprendizado, estimulam a melhoria do desempenho mental e corporal. Atuam ainda como uma ferramenta poderosa para liberar a tensão e gerar diálogo, seja para bebês, crianças, adultos ou idosos. O ato de jogar e brincar ajuda no processo de integração e interação entre as pessoas e a libertá-las do preconceito e discriminação.

Neste cenário, as assessorias esportivas se tornam cada vez mais importantes na rotina dos moradores, pois proporcionam, além de atividades físicas e sociais para bebês, crianças, adolescentes, adultos e idosos, economia de dinheiro, tempo e diminuição da preocupação com deslocamentos externos nos traslados a clubes e academias. Tudo dentro de casa!

No quesito atividades físicas, as assessorias têm um papel importantíssimo no atendimento e motivação dos condôminos, principalmente em situações como as citadas abaixo:

- Muitos são os casos de pessoas acima do peso que têm vergonha de frequentar academias, mas que acabam por ficar mais confortáveis a sair de suas unidades e a realizar atividades orientadas por um profissional especializado, pois não precisam sair do prédio, ou seja, da sua área de conforto;

- O idoso, condição que muitas vezes não permite deslocamentos de grandes distâncias, é estimulado a sair de casa, pratica mente e corpo com acompanhamento próximo e especializado;

- As crianças (como a introspectiva, especialmente aquela que recentemente se mudou para o condomínio; também aquela que precisa desenvolver algum ponto corporal ou comportamental; a que estuda meio período; ou aquela que simplesmente quer realizar atividades complementares para não ficar em casa) podem participar das atividades da grade, conhecer novos amigos e regras e, como consequência, seus pais acabam também interagindo pela relação de amizade criada. Assim, a máxima do condomínio do "morador em L" (apartamento - elevador - garagem - elevador - apartamento) é quebrada.

Imagine uma condômina saindo da zona "morador em L" que decida fazer uma aula de zumba proposta pela assessoria. No elevador ela encontra com outras vizinhas, que também estão descendo para a aula, com disposição e alegria. Já neste momento e, depois, na própria aula, essa moradora conhece outras, desencadeando-se uma cadeia de relacionamentos no condomínio, que vai aumentando a cada aula e em cada modalidade diferente que frequentam e venham a frequentar. 

Eventos sociais e esportivos

Além das atividades físicas da grade regular, diversos condomínios realizam, em parceria com a gestão esportiva, eventos sociais e esportivos para uma maior sociabilização e interação dos condôminos, como Carnaval, Páscoa, Dia das Mães, Colônia de Férias, Dia dos Pais, Dia das Crianças, Halloween, Natal, Festival de Natação, apresentação de Ballet e Teatro, Campeonato de Esportes, ou qualquer outra necessidade daquela coletividade.

Filosofia de trabalho

O professor da assessoria esportiva pauta seu trabalho na promoção do esporte, preocupado com a formação do cidadão e princípios socioeducativos, e no esporte de participação, apresentando os principais aspectos de uma ou mais modalidades aos praticantes. 

Vou citar o exemplo do “Tag Rugby”, modalidade adaptada do Rugby que temos utilizado com resultados excelentes. Nessa prática todos os perfis de crianças são agregados e têm papel fundamental na equipe. A criança maior, a mais magrinha, mais alta, mais baixa, todas têm a sua participação igualitária. O professor dá a elas o comando, as regras e faz a mediação da atividade. Existe um revezamento de capitães na equipe, com o objetivo de estimular a liderança, o poder de ação e a organização espaço-temporal do seu time.

Percebe-se, ao longo do tempo, que esse estímulo auxilia na forma como as crianças e os adolescentes passam a respeitar mais os colegas, os pais e os funcionários do condomínio. E tiramos uma lição importante: juntos, síndico e assessoria, estudando, ouvindo e vivenciando com os condôminos, buscam novidades, facilidades e bem-estar aos moradores para um trabalho bem feito e um ambiente saudável e prazeroso.

Marcelo Martinelli

Graduado em Educação Física, pós-graduado em gestão esportiva e prestador de serviços da área de assessoria esportiva como gestor da Condoprime.
Mais informações:  O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. .

Não reproduza o conteúdo sem autorização do Grupo Direcional. Este site está protegido pela Lei de Direitos Autorais. (Lei 9610 de 19/02/1998), sua reprodução total ou parcial é proibida nos termos da Lei.