Condomínio solidário: Natal coroa campanhas de ajuda ao próximo

Escrito por 

Apesar de toda correria com o trabalho, o trânsito e a família ao longo do ano, síndicos e condôminos se mobilizam para garantir o amparo a pessoas carentes. O benefício é de todos, pois campanhas como a do agasalho e do Natal contribuem para humanizar as relações no condomínio.

Síndica Claudia Prado: “O Natal sensibiliza mais as pessoas”

Campanhas de solidariedade estão conquistando síndicos, funcionários e moradores de condomínios. O ápice acontece nesta época do ano, com a aproximação das festas de Natal, que mesmo celebrado entre as famílias cristãs, acaba contagiando os demais setores da sociedade. De acordo com a síndica profissional Claudia Prado, “todas campanhas encontram boa adesão, mas o Natal, com seu significado religioso e emocional, sensibiliza mais as pessoas, que ficam motivadas a doar, compartilhar e a praticar o bem”.

Em um dos quatro condomínios que administra, o Mais Morumbi Clube, Claudia está organizando, neste momento, a coleta de brinquedos junto aos moradores das 260 unidades para fazer doações de Natal. Um dos prováveis destinatários será o Projeto Família Noel, promovido por um grupo de voluntários em Juquitiba, na Região Metropolitana de São Paulo. Localizado na Vila Andrade, zona Sul de São Paulo, o Mais Morumbi Clube realizou este ano também a campanha do agasalho, com envolvimento de todo corpo diretivo, do zelador Durval Barbosa de Souza Junior e da moradora Elisete da Silva Mendes.

Professora de Educação Infantil e Ensino Fundamental I da rede municipal de ensino de São Paulo, Elisete conseguiu caixas da campanha oficial desenvolvida pelo Governo do Estado. Colocadas nas áreas comuns durante um período do inverno passado, elas eram preenchidas toda semana pelos condôminos. Os donativos foram entregues, entre outros, às famílias dos alunos da Escola Municipal Altamiro Pinto Soares, de Juquitiba. “Ficamos surpresos com o volume de roupas e calçados arrecadados, os moradores se mostraram muito solidários. Com o tempo esse tipo de campanha traz reflexos sobre a coletividade, porque as pessoas se tornam mais sensibilizadas. Às vezes elas não ajudam por falta de oportunidade”, afirma Elisete.

A síndica Claudia Prado observa que o sucesso das campanhas depende do perfil empreendido à gestão do condomínio. “Todo trabalho solidário reflete quem o propõe, prezamos muito as relações humanas, a transparência e a verdade de sentimentos. Este tipo de ação é fácil acontecer em um contexto como esse, especialmente quando realizamos um trabalho de sensibilização junto aos moradores.”

Para o advogado Michel Rosenthal Wagner, estudioso das relações de vizinhança, no Natal as pessoas parecem mais sensibilizadas em relação ao outro, apesar do elevado consumo que caracteriza o período. “Mas é bom pensar que em outras épocas também nos sensibilizamos. Cada pessoa, família e comunidade tem vários momentos em que isso ocorre, o que independe de classe social, nível educacional etc.” Quanto às campanhas, ele observa que representam “bom exercício prático de vizinhança”.

Síndica Vilma Peramezza: Objetivo social e ambiental orienta há 17 anos a decoração natalina do Conjunto Nacional. Nos cantos, fotos do projeto executado em 2015

RENDA SOCIAL

Este é um tipo de experiência que está completando 17 anos no Conjunto Nacional, localizado na Av. Paulista, em São Paulo. Para enfeitar suas fachadas e montar o presépio com produtos manufaturados a partir de material reciclado, o condomínio promove arrecadação anual junto aos seus frequentadores, trabalhadores e moradores. E também compra os resíduos das cooperativas de catadores quando o volume recolhido é insuficiente.

“Nossas decorações têm sempre duplo sentido”, afirma a síndica Vilma Peramezza. Além do ganho ambiental, a manufatura gera renda para os artesãos dos enfeites, neste ano reunidos em torno das entidades CAPS Itapeva (Centro de Atenção Psicossocial), Cratod (Centro de Referência de Álcool, Tabaco e Outras Drogas) e Grupo Fênix, sob a coordenação da Cooperaacs (Cooperativa Social de Trabalho e Produção de Arte Alternativa e Coleta Seletiva). “Temos de dez a 15 artesãos que trabalham conosco há até dez anos”, observa Vilma, lembrando que eles estão ou passaram por processo de recuperação do vício em drogas, entre outros problemas.

Segundo balanço divulgado pelo Conjunto Nacional, em 2015 foram investidos R$ 400 mil na decoração de Natal, parte dos quais remunerou cerca de 30 artesãos, com uma renda média de R$ 1 mil cada (além da alimentação e transporte), durante quatro meses de trabalho. Em 2016 o investimento foi menor (R$ 250 mil), favorecendo 30 artesãos com renda mensal de R$ 700,00 (mais alimentação e transporte) por três meses. Neste ano, o valor cairá um pouco mais diante da crise, afirma Vilma Peramezza. Por isso, a fachada receberá enfeites “menos ousados”: estrelas de CDs com luzes de LED. De qualquer forma, a produção dos adereços natalinos do Conjunto Nacional está demandando, entre outros, um volume de 4 mil CDs. Os projetos são criados pelo designer Sílvio Galvão, que acompanha a manufatura e montagem dos enfeites.

ENGAJAMENTO

A criatividade, portanto, anda de mãos dadas com a solidariedade. Em um dos condomínios que administra, o síndico profissional Paulo Mujano realizou neste ano campanha de arrecadação de gifts de hotéis, ganhos pelos moradores em suas hospedagens durante viagens de negócios e lazer. O material, predominantemente de higiene pessoal, foi doado à casa dos Artistas de São Paulo. Em outros dois condomínios houve campanha do agasalho, cuja arrecadação foi revertida ao Cejam, entidade sem fins lucrativos que atua com saúde, educação e responsabilidade social. De acordo com o síndico, as pessoas costumam aderir bem a esse tipo de iniciativa, “basta oferecer a oportunidade a todos de participar de um projeto que irá proporcionar ajuda ao próximo, realizar uma boa divulgação da campanha com objetivos claros (transparência), além de disponibilizar local e estrutura para as doações”. O síndico destaca a participação dos moradores especialmente na campanha dos gifts, ideia surgida “num grupo do conselho”. “É um perfil de condomínio formado por jovens atuantes, profissionais autônomos ou de grandes empresas, que viajam muito, se deparam com esses produtos e já têm a consciência de fazer o bem sempre.” Agora o síndico está organizando as campanhas de Natal.

Moradores de rua também entram no foco das mobilizações. No ano passado, em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, os síndicos profissionais Eli Silveira e Valquíria Fidel promoveram campanhas do agasalho beneficiando, entre outros, essa população. Eles realizaram ainda a Campanha Natal Solidário, com arrecadação de brinquedos usados e novos, doces e balas voltados às ações da Igreja Matriz de São Bernardo. “As campanhas favorecem a união entre os condôminos, que passam a conhecer melhor seu vizinho e a ver que podem diminuir o sofrimento de pessoas carentes com um pouco do seu tempo, carinho e sorriso.”

Agasalhos e gifts arrecadados em campanhas promovidas neste ano pelo síndico Paulo Mujano


Matéria publicada na edição - 229 - novembro-dezembro/2017 da Revista Direcional Condomínios

Não reproduza o conteúdo sem autorização do Grupo Direcional. Este site está protegido pela Lei de Direitos Autorais. (Lei 9610 de 19/02/1998), sua reprodução total ou parcial é proibida nos termos da Lei.