“Nas campanhas, a melhor parte das pessoas vem à tona!”

Escrito por 

Entrevista sobre Condomínio Solidário, por Hernan M. De Villar

Hernan M. De Villar, psicólogo da área comportamental e monge budista

As campanhas de solidariedade representam uma oportunidade para que as pessoas se conheçam em meio à correria do dia a dia e vejam “a melhor parte” do outro, contribuindo para diminuir conflitos típicos do convívio coletivo, afirma Hernan Maximilian De Villar, psicólogo especialista em comportamento humano e monge budista. “Nas campanhas, a melhor parte das pessoas vem à tona! Nesses momentos, as pessoas deixam as picuinhas de lado, ficam com uma visão muito positiva uns dos outros, promovendo a harmonização no condomínio”, completa. Abaixo, os principais trechos da entrevista concedida pelo especialista à Direcional Condomínios.

Em que direção caminhamos?

“O momento é de grande reflexão. Hoje, em muitas áreas do conhecimento humano, vivemos muito melhor do que há 100 anos. Por exemplo, na área médica, com todos os avanços no diagnóstico e tratamento de doenças, ganhamos uma longevidade de 80 anos. Podemos viver 30 anos a mais que nossos antepassados. Ainda assim, há outras áreas que precisam melhorar, como a educação para todos e o saneamento.”

O papel da solidariedade

“Precisamos entender que a jornada individual e a humana estão interligadas. Precisamos estender as mãos aos nossos irmãos e irmãs que estão passando por dificuldades e tratá-los com compaixão e amor. Ser feliz sozinho é um ato de profundo egoísmo.”

As pessoas estão mais individualistas ou ocupadas?

“A vida cotidiana nos toma muito tempo e precisamos nos concentrar em nossas atividades, não temos muito tempo de sobra. Isto faz com que tenhamos poucas oportunidades de olhar as demais pessoas e perceber suas dificuldades e necessidades.”

O síndico deve trabalhar também pela solidariedade?

“O gestor do condomínio deve ter a capacidade de mitigar pequenos conflitos que surgem no dia a dia, pois não interessa a ninguém que eles se agravem e cheguem a um contencioso judicial. Promover ações através das quais as pessoas possam mostrar seu melhor lado, quem elas são na verdade, poderá trazer um ganho muito grande para a harmonização das relações daqueles que coabitam em condomínio.”

Quais sentimentos ou reações as campanhas mobilizam?

“Somos mais fortes quando estamos juntos. Os seres humanos são seres sociais e quando estão motivados diante de uma causa, são capazes de ações realmente lindas. Solidarizar-se implica em colocar-se no lugar do outro, perceber as dificuldades do outro e, em última instância, dar um pouco de si, o que faz muito bem a todos!”

Como organizá-las?

“Sempre tomando o cuidado para que a vaidade não acabe por individualizar as ações e, desta forma, gerar tensões ou atritos. É importante que esta seja uma ação do condomínio, sempre com um viés educacional para as crianças e adolescentes, mostrando que eles também devem começar a cumprir seu papel social. É igualmente importante que os resultados alcançados sejam amplamente divulgados, de forma a que todos vejam um pouco do que fizeram individualmente, repercutindo na ação total.”


Matéria publicada na edição - 229 - novembro-dezembro/2017 da Revista Direcional Condomínios

Não reproduza o conteúdo sem autorização do Grupo Direcional. Este site está protegido pela Lei de Direitos Autorais. (Lei 9610 de 19/02/1998), sua reprodução total ou parcial é proibida nos termos da Lei.