O síndico quer montar academia no prédio, e agora?

Escrito por 

O síndico profissional Luiz Leitão da Cunha tem cuidado da modernização do Condomínio Fernão Dias, prédio construído também em princípios dos anos 70 com 67 unidades na região da Av. Paulista, em São Paulo.

Entre outros, está conduzindo o processo do AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros) e revitalizou o hall social. Agora chegou a vez de ocupar um espaço livre do edifício, sem uso, para implantar a academia, serviço inexistente no condomínio.

“Estou atendendo à demanda de alguns moradores”, esclarece Luiz. Por isso, ele resolveu fazer um levantamento das expectativas dos condôminos, das opções disponíveis no mercado e submeter o assunto à votação de uma Assembleia Geral Extraordinária (AGE). A seguir, Luiz Leitão compartilha, em depoimento, essa experiência aos seus colegas gestores.

- APROVAÇÃO EM ASSEMBLEIA

“A maioria dos condomínios mais antigos, e até mesmo alguns mais atuais, não dispõe de academia de ginástica, uma comodidade essencial hoje em dia. Quando alguns moradores começam a pedir ao síndico que instale aparelhos de ginástica, convém fazer uma enquete no condomínio para avaliar a receptividade à ideia de se implantar uma academia no local. Constatado o apoio da maioria, ele deverá convocar uma AGE para aprovar a obra que, embora possa ser considerada necessária, se enquadra na categoria das despesas voluptuárias. Há necessidade de convocação de 2/3 dos condôminos, não só para aprovar a obra em si, mas também para decidir sobre a eventual mudança de destinação da área comum onde serão instalados os equipamentos.”

- PROJETO & CUSTOS

“Antes de convocar a assembleia, o síndico deverá, considerando as possibilidades financeiras do condomínio, solicitar orçamentos e projetos em 3D ao mercado, gratuitamente. Os equipamentos essenciais para uma academia de condomínio são: Esteira e bicicleta ergométricas, estação de musculação, suporte para halteres, conjunto de halteres emborrachados, colchonete emborrachado, espaldar de madeira, banco regulável, fita de suspensão e kit elástico. Em orçamentos que realizamos, esse conjunto custa, em média, R$ 19 mil, já com o desconto de 25% concedido a condomínios, podendo ser parcelado em 12 vezes sem juros.”

- FAÇA POR ETAPAS

“É possível, e até aconselhável, montar a academia por partes, para sentir a aceitação dos moradores, podendo-se começar com apenas uma esteira, uma bicicleta ergométrica e uma estação de musculação. Depois, é só acrescentar itens conforme o projeto original. O piso deve ser nivelado e composto de borracha, para amortecer impactos, especialmente se a academia estiver localizada no último andar do prédio.”

- EQUIPAMENTOS BÁSICOS

ESTEIRA – “Esta é, sem dúvida, um dos equipamentos essenciais e o mais caro deles, seguido da bicicleta ergométrica. Por último, temos a estação de musculação. Com esses três itens já é possível ter uma academia bem básica que, na medida das possibilidades do condomínio, poderá ser ampliada.

As esteiras de perfil residencial não servem para o uso pesado e constante em academias. Na configuração mínima exigível, o equipamento deve dispor de painel eletrônico com cronômetro, que informe a velocidade, a distância percorrida, o monitoramento cardíaco e o consumo calórico. Este deve suportar até 150 kg, com velocidade de 1 km/h a 16 km/h, motor de 1,2 HP de corrente alternada, área de manta 135 x 46 cm, inclinação eletrônica de 15%. Deve haver também chave de segurança e um eficiente sistema de absorção de impacto. As boas marcas dão garantia de cinco anos para o motor, três para a estrutura, e um ano para as demais partes, com assistência técnica permanente.”

BICICLETA ERGOMÉTRICA – “A versão ideal para uso na academia do condomínio é a eletromagnética com banco ergonômico ajustável, que suporte até 135 kg e painel eletrônico programável, que informe as rotações por minuto (RPM), o tempo, a distância, a frequência dos batimentos cardíacos e as calorias consumidas. A garantia normalmente dada a esse tipo de equipamento é de dois anos.” ESTAÇÃO DE MUSCULAÇÃO – “Um bom equipamento possui mesa Scott regulável, coluna de peso entre 60 e 70 kg, cobertura de proteção para os pesos e encostos e assentos revestidos de espuma. A estação deve proporcionar mais de 20 tipos de exercícios, como extensor, flexor, elevação de ombros, remada baixa e outros. Em geral, o mercado trabalha com dois anos de garantia.”

ACESSÓRIOS – “Deve haver um jogo de espelhos nas paredes da sala, porta-toalhas de papel, lixeira de pedal e, se possível, uma pia e um dispensador de álcool gel. É recomendável instalar câmera e interfone no recinto.”

- MANUTENÇÃO

“A manutenção preventiva dos equipamentos pode ser contratada ou, ainda, executada pelo zelador, devidamente orientado e treinado para tal."

- NORMAS DE UTILIZAÇÃO

“Elas deverão ser elaboradas e aprovadas na mesma assembleia que deliberar sobre a compra dos equipamentos e o local de instalação da academia, sendo desejável haver um controle de frequência. Crianças e adolescentes só podem acessar o local na companhia de um responsável ou de profissionais habilitados, como fisioterapeutas e professores de educação física. Adultos não são obrigados a apresentar atestado médico.”


Matéria publicada na edição - 240 - nov-dez/18 da Revista Direcional Condomínios

Não reproduza o conteúdo sem autorização do Grupo Direcional. Este site está protegido pela Lei de Direitos Autorais. (Lei 9610 de 19/02/1998), sua reprodução total ou parcial é proibida nos termos da Lei.