O antes e o depois da impermeabilização da piscina

Escrito por 

A síndica Cristiane Bittencourt, do Condomínio Ilha Guadeloupe, na zona Oeste de São Paulo, precisou fechar preventivamente o acesso à piscina às vésperas do último verão. Azulejos começaram a se soltar em boa parte da extensão das paredes do tanque, gerando riscos de cortes nos usuários.

impermeabilização da piscina

“A piscina não estava em nosso radar de obras naquele momento, mas em outubro passado tivemos que interditá-la.” Houve remoção e troca dos azulejos, da manta e do revestimento da borda, já que a construção original tinha quase 27 anos. “Aproveitamos para substituir os filtros, encanamentos e o sistema de aquecimento, além de instalar iluminação e cascata.” Todo o processo foi rápido: Em 1º de fevereiro de 2019, quatro meses depois de iniciados os trabalhos, a piscina estava liberada para uso.

De acordo com o engenheiro civil responsável pela obra, Douglas Gomes de Oliveira, demais áreas do condomínio estão sendo vistoriadas, pois já foram localizados vazamentos em outros pontos, como em uma floreira e em um ralo próximo da guarita. “Identificaremos de onde vêm esses problemas para propor uma solução.”


Matéria publicada na edição - 244 - abril/2019 da Revista Direcional Condomínios

Não reproduza o conteúdo sem autorização do Grupo Direcional. Este site está protegido pela Lei de Direitos Autorais. (Lei 9610 de 19/02/1998), sua reprodução total ou parcial é proibida nos termos da Lei.