Acessibilidade em prédios novos

Escrito por 

O arquiteto Marcus Vinícius Abrantes afirma que as edificações cujos projetos foram apresentados e aprovados posteriormente ao Decreto Municipal de 2004 em São Paulo, bem como à legislação federal (confira abaixo), contemplam preocupação maior com a acessibilidade.

plataforma de acesso da portaria

No Condomínio You Jardim Saúde Mirante, entregue em 2014, destacam-se a plataforma de acesso da portaria ao hall social (foto) e a rampa da piscina. De acordo com a síndica Debora Ravani, mães com carrinhos de bebês e crianças pequenas são as que mais utilizam a plataforma. Para a síndica profissional Ana Josefa Severino, que atua há mais de vinte anos na gestão de condomínios, a infraestrutura de acessibilidade melhorou nos prédios novos. Em um amplo residencial que implantou em 2004, por exemplo, Ana Josefa exigiu da incorporadora a construção de “rampas no térreo e em todos os elevadores de serviços dos subsolos”. “Não havia acessibilidade e tínhamos um cadeirante”, lembra. Já nos empreendimentos implantados nos últimos cinco anos, Ana Josefa encontrou rampas e banheiros acessíveis, “com as portas maiores e até com o espelho inclinado, para melhor visualização do cadeirante”, exemplifica.

plataforma de acesso da portaria
plataforma de acesso da portaria

Matéria publicada na edição - 246 - junho/2019 da Revista Direcional Condomínios

Não reproduza o conteúdo sem autorização do Grupo Direcional. Este site está protegido pela Lei de Direitos Autorais. (Lei 9610 de 19/02/1998), sua reprodução total ou parcial é proibida nos termos da Lei.