Internet das Coisas (IOT) agrega na manutenção dos elevadores

Escrito por 

O síndico orgânico Pedro Nagahama é profissional da área de Tecnologia da Informação (TI), por isso não teve dificuldade de entender nem de contratar um “técnico virtual” junto do pacote de manutenção dos elevadores do residencial onde mora, o Condomínio Villandre, localizado na região do Tatuapé, zona Leste de São Paulo.

“A tecnologia faz parte do meu dia a dia e ao assumir a administração do condomínio, em 2017, tinha o desafio de agilizar os processos para não prejudicar o meu trabalho profissional”, afirma Pedro. No caso dos dois elevadores do prédio, ainda sob manutenção do fabricante, as paradas eram constantes e irreparáveis, apesar de o condomínio ser dos anos 90, ter apenas 22 unidades distribuídas em onze andares. Pedro resolveu então pesquisar se havia no Brasil sistemas automatizados de manutenção como encontrava no Exterior, baseados na Internet das Coisas (IOT). E encontrou a plataforma desenvolvida pela Musca Tecnologia, batizada de LEV.

Os comandos dos elevadores foram automatizados para resolver os problemas anteriores e a eles se agregou a nova solução. “Isso foi há cerca de um ano, ganhei um serviço de manutenção preditiva, preventiva e corretiva”, resume. Na prática, segundo Mário Santos, um dos desenvolvedores da plataforma, o “técnico virtual é capaz de identificar, alertar e resolver problemas, até 70% deles”, via internet. É um hardware acoplado ao comando do elevador (não necessariamente eletrônico) e associado a um software, programado para levantar e cruzar diferentes informações dos componentes, da operação e viagens do equipamento.

“O técnico pode, de forma remota, restabelecer automaticamente padrões de funcionamento da máquina, emitir relatórios e/ou mandar alertas para que a empresa de manutenção entre na plataforma e faça essa gestão”, acrescenta Mário. Lançada em 2018, a solução, de acordo com o desenvolvedor, está sendo oferecida como um diferencial nos pacotes de manutenção mensais das empresas do setor e prevê, como vantagens, redução de até 99% do tempo de resolução dos chamados; informação em tempo real dos elevadores; aumento da eficiência em deslocamentos; e maior segurança para as empresas com alertas em tempo real.


Matéria publicada na edição - 248 - agosto/2019 da Revista Direcional Condomínios

Não reproduza o conteúdo sem autorização do Grupo Direcional. Este site está protegido pela Lei de Direitos Autorais. (Lei 9610 de 19/02/1998), sua reprodução total ou parcial é proibida nos termos da Lei.