Sistema operante é fundamental para garantir segurança contra o fogo

Escrito por 

Mesmo que alguns condomínios não tenham conseguido ainda tirar ou atualizar o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB), de renovação obrigatória a cada cinco anos para os prédios residenciais no Estado de São Paulo, os síndicos têm se desdobrado para contratar serviços e obras em atendimento às exigências e deixar o sistema operante.

Síndico Carlos Carmelo de Benedetto

Síndico Carlos Carmelo de Benedetto: Características construtivas dos prédios mais antigos desafiam gestores na hora de contratar adequações para o AVCB

No Condomínio Paulicéia e São Carlos Pinhal, com acessos pela Av. Paulista e Rua São Carlos do Pinhal, em São Paulo, as providências para adequações vêm sendo tomadas há um bom tempo e demandaram até a implantação de uma rede de gás natural, concluída em 2017. Construídos no final dos anos 50 na Capital Paulista, os edifícios são tombados pelo patrimônio histórico e representam um marco na história arquitetônica da cidade. Porém, suas 240 unidades eram abastecidas com botijões de gás até dois anos atrás.

O síndico Carlos Carmelo de Benedetto, que era conselheiro na época da obra do gás e assumiu a gestão em 2018, afirma que na última década os prédios receberam outras adequações (como na elétrica, nos hidrantes, extintores, corrimãos) e trocou a iluminação de emergência por blocos autônomos com LED. Mais recentemente houve treinamento da brigada de incêndio. Hoje restam três pendências, já no planejamento do síndico: A instalação de corrimãos contínuos nos finais 3 e 4; de bomba de incêndio nos 23º andares de ambos os edifícios; e a implantação de uma nova sinalização, adequada às normas.

Arquiteto e ex-diretor do Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB-SP), Carlos Benedetto observa que as características construtivas dos projetos mais antigos demandam adaptações e criatividade. Por exemplo, os patamares intermediários da escadaria dos finais 3 e 4 possuem blocos de vidro ao fundo e as paredes têm extintores e caixas de hidrantes e de passagem na altura do apoio do corrimão, o que exigiu um novo desenho para a fabricação e instalação desta estrutura, próximo serviço a ser realizado pelo condomínio.

Condomínio Edifício Paulicéia

Escadaria dos finais 3 e 4 do Condomínio Edifício Paulicéia: Desafio para projetar e instalar um corrimão contínuo com todos esses elementos na parede e o fundo do patamar intermediário em bloco de vidro


Matéria publicada na edição - 248 - agosto/2019 da Revista Direcional Condomínios

Não reproduza o conteúdo sem autorização do Grupo Direcional. Este site está protegido pela Lei de Direitos Autorais. (Lei 9610 de 19/02/1998), sua reprodução total ou parcial é proibida nos termos da Lei.