Comando ágil e seguro nos acessos e circulação requer integração

Escrito por 

A gestão dos fluxos de entrada, saída e circulação no condomínio pode ocorrer atualmente através de um computador ou tablet. Através desses dispositivos, é possível acessar o banco de dados de moradores, placas de veículos, prestadores de serviços regulares e até animais de estimação.

Mas para que esse comando esteja “na palma das mãos” de um funcionário da portaria (presencial ou remota), é preciso ter equipamentos modernos (como câmeras IP), internet e software integrando-os ao banco de dados, explica o síndico orgânico Fábio Schmitt, profissional da área de TI (Tecnologia da Informação) e empresário do segmento de terceirização. A seguir, algumas de suas dicas sobre esses dispositivos.

Biometria & Reconhecimento Facial – Recurso bastante valorizado pelos condomínios, a biometria sofreu o impacto da pandemia do novo Coronavírus, pelo toque físico da digital no display, observa o especialista. Ele acredita que o aparato venha a ser substituído pelo reconhecimento facial conforme fique obsoleto no condomínio. Pois o reconhecimento é feito por “um leitor de tecnologia avançada, que realiza uma ‘varredura’ facial mesmo que se use máscara”. A imagem do rosto do visitante é comparada àquela armazenada no sistema antes de se liberar o acesso.

CFTV/Câmeras – O especialista recomenda modelos IP, uma tecnologia digital de resolução “muito superior à analógica”. Ela possibilita ao porteiro visualizar dados de um documento, da placa dos veículos e “enxergar no escuro através do infravermelho”. O próprio sistema pode fazer essa leitura automaticamente se o recurso estiver instalado. Além disso, a distribuição e o posicionamento das câmeras são muito importantes. No condomínio onde o síndico mora, na região Sudeste de São Paulo, há 3 câmeras para identificar o visitante, tomando-lhe imagens de frente, perfil e a visão de costas.

Controle de Veículos/Portões – A tendência é que os gestores busquem dispositivos que façam o reconhecimento automático da placa do veículo, aposta Fabio. Quem usa controle remoto de portão deve garantir que estes estejam codificados e os moradores comuniquem imediatamente perdas, sugere. Quanto às tags, “elas se tornam eficientes se a garagem estiver preparada para as antenas que farão a leitura do sensor”. Mas há vulnerabilidade caso o veículo seja roubado, ressalva.

Interfones – São também essenciais ao controle dos fluxos, no entanto, o síndico destaca que muitas vezes acabam dando problemas por falhas na instalação, manutenção e/ou exposição à chuva e ao sol.

Proteção Perimetral/Cerca Elétrica– Nesse item, é preciso alarme que cubra todo perímetro e câmeras estrategicamente posicionadas, com infravermelho.

Software / Gerenciamento de Dados – Plataformas de TI garantem a integração das informações recebidas das instalações (CFTV, proteção perimetral etc.), bem como funcionalidades básicas do controle de acesso, como a liberação pela biometria ou o reconhecimento facial.


Matéria publicada na edição - 261 - outubro/2020 da Revista Direcional Condomínios

Não reproduza o conteúdo sem autorização do Grupo Direcional. Este site está protegido pela Lei de Direitos Autorais. (Lei 9610 de 19/02/1998), sua reprodução total ou parcial é proibida nos termos da Lei.