Pandemia surpreendeu sem receita nem aviso prévio

Escrito por 

Integrante assídua do Conselho de Síndicos do Secovi-SP, Lurdes de Fátima Affonso Antonio administra há três décadas o condomínio onde mora, um prédio de 52 unidades localizado na Vila Mariana, zona Sul de São Paulo.

Síndica Lurdes Affonso

Síndica Lurdes Affonso: Em três décadas de gestão de condomínio, nunca tinha administrado situações como as trazidas pela pandemia

Mas nunca tinha vivenciado uma mudança tão drástica na dinâmica condominial como a gerada pela pandemia do novo Coronavírus em 2020. “A vida mudou, as regras no prédio mudaram: Só uma família por vez no elevador, uso obrigatório de máscaras, incertezas sobre o que liberar, cancelamento de assembleia de eleição de síndico, entre outros. No começo foi muito difícil explicar para as pessoas que tínhamos que alterar regulamento, houve muita conversa (por interfone) para saber como iríamos proceder. Acompanhei muito os protocolos exigidos pela área da saúde, isso eu consegui trazer para o condomínio, na base do convencimento.”

Prevista inicialmente entre final de março e princípio de abril, a AGO (Assembleia Ordinária) do condomínio foi cancelada após os decretos governamentais que determinaram a quarentena. A ideia só pôde ser retomada quando a cidade de São Paulo começou a flexibilizar e, em 8 de agosto, a AGO foi realizada presencialmente, com reeleição da síndica. “Fizemos no período da manhã, em área externa no prédio. Coloquei as cadeiras com distância de 1,5 metro e disponibilizei álcool a 70%. Cada condômino desceu com a sua caneta. Em agosto também liberamos a academia com protocolo e termo de aceite a ser assinado pelos moradores.”

Foi um script comum aos síndicos durante o ano e, quando alguns deles foram questionados pela reportagem da Direcional Condomínios sobre o que mais os surpreendeu em sua trajetória, citaram a pandemia. Infelizmente, para alguns, houve registros de óbitos de funcionários e moradores. As transformações chegaram a tal ponto que a síndica profissional Jailma A. Brito foi eleita no início de outubro para assumir a gestão de um novo condomínio residencial através de um processo seletivo baseado em vídeos de apresentação de cerca de 1 minuto e meio dos candidatos. Em tempo: O uso de vídeo tipo “pitch pessoal” é uma prática comum no setor de recrutamento de grandes empresas.

Com os 30 anos de experiência em condomínio, Lurdes Affonso teve reafirmada neste ano a história que estar síndico é submeter-se às surpresas, não só da parte estrutural da edificação quanto comportamental, bem como ao imponderável de uma pandemia que quebrou todo e qualquer planejamento.


Matéria publicada na edição - 262 - nov-dez/2020 da Revista Direcional Condomínios

Não reproduza o conteúdo sem autorização do Grupo Direcional. Este site está protegido pela Lei de Direitos Autorais. (Lei 9610 de 19/02/1998), sua reprodução total ou parcial é proibida nos termos da Lei.