Segurança e manutenção da piscina do condomínio, como fazer?

Escrito por 

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) publicou em 2018 uma nova versão da NBR 10.339, retificada em 2019 com uma errata. Seus quesitos devem constar em projetos, construção, instalação e segurança “no uso e operação de todos os tipos de piscinas”. Um dos destaques é a determinação de haver ralos e grelhas antiaprisionamento, impedindo que o cabelo ou peça do vestuário de uma pessoa seja sugada, fato que gera grande risco de afogamento.

Entre os demais parâmetros de segurança a serem seguidos, encontram-se: Piso antiderrapante nas áreas do deck e no fundo das piscinas rasas, para evitar escorregamentos e quedas; acabamentos arredondados em degraus e bordas, impedindo ferimentos graves em caso de pequenos impactos; barreiras de isolamento no acesso à área da piscina, como grades, muretas ou cercas com portões; sinalização visual do ambiente e equipamentos; indicação de profundidade em local visível e de fácil acesso, nas bordas ou nas paredes do tanque, acima da superfície da água; e botão de emergência, dispositivo que quando acionado desliga a circulação e sucção da água.

MANUTENÇÃO

Em relação à manutenção, o consultor da área de riscos Carlos Alberto dos Santos chama atenção dos gestores para cuidados periódicos com bombas e filtros. “Estes trabalham com areia que, se não tratada anualmente, solidifica dentro de pequenos componentes plásticos (crepinas) presentes no seu interior. Se isso acontecer, começa a haver retorno de areia para o próprio tanque da piscina, acumulando no piso. Ou, ainda, isso pode forçar e estourar a bomba”, explica Carlos Alberto. Ele destaca que a manutenção periódica dos filtros e bombas deve ser feita por empresa especializada. O consultor também costuma observar problemas nos reparos de vazamentos em bombas, quando, ao se trocar o cabeçote (válvula seletora), não é feito “o torque de peso de aperto correto; este tem que ser intercalado”.

Por fim, em relação ao tratamento da água, é importante fazer o controle diário do cloro e do pH, definindo-se as dosagens certas dos produtos a serem aplicados, os quais devem ter qualidade comprovada. Há síndicos, no entanto, que preferem o tratamento por meio da ozonização da água (que promove a desinfecção contra fungos, bactérias, algas e vírus). Já a limpeza de sujidades, como folhas levadas à água pelo vento, deve ser feita através de um trabalho com peneira e aspiração.

INVESTIMENTOS NA ÁREA DA PISCINA DURANTE

A QUARENTENA – O síndico Diógenes Radaelli Ferrero pretendia revitalizar a jardineira que marca uma das divisas da área das piscinas do condomínio Condominio Villággio de Assisi quando percebeu que, com o ambiente fechado por causa da quarentena do novo Coronavírus, poderia ampliar as mudanças. A parte onde havia plantas foi totalmente limpa e recebeu uma grama sintética, que servirá de base para vasos com novas espécies, mudando o paisagismo em relação ao padrão anterior. Já no alongamento dessa jardineira existe uma espécie de muro mais baixo (foto acima), transformado agora em deck com madeira ecológica tratada, que possui 15 anos de garantia.

“Este solário não estava previsto, mas como tínhamos uma sobra de caixa e a piscina estava fechada por causa da quarentena, resolvemos iniciar os serviços em agosto passado. Também instalamos um novo trocador de calor para manter a água do tanque em temperatura constante”, descreve. O prédio está localizado na Pompeia, bairro da zona Oeste de São Paulo, e possui 84 unidades.

Os serviços foram concluídos no final de setembro e, no dia 1º de agosto, a área estava reaberta para usufruto dos condôminos, com horário limitado até às 18hs e distanciamento entre cadeiras, mesas e espreguiçadeiras. Segundo Diógenes, a primeira discussão de reabertura de alguns espaços comuns no condomínio ocorreu em agosto, “quando fizemos uma programação diferenciada de horários para idosos e crianças”. No Villággio, os ambientes têm sido liberados conforme a vontade manifestada pela maioria dos moradores em enquetes realizadas periodicamente.


Matéria publicada na edição - 262 - nov-dez/2020 da Revista Direcional Condomínios

Não reproduza o conteúdo sem autorização do Grupo Direcional. Este site está protegido pela Lei de Direitos Autorais. (Lei 9610 de 19/02/1998), sua reprodução total ou parcial é proibida nos termos da Lei.