Mapa de atividades ajuda síndico a racionalizar horas extras de sua equipe

Escrito por 

A Profa. Rosely Benevides Schwartz costuma lembrar que parte dos custos da folha de pagamentos nos condomínios decorre da má gestão da escala dos funcionários e do excesso de horas extras. Rosely chega mesmo a propor a organização visual da distribuição das tarefas de cada função. Isso permite ao gestor fazer o monitoramento dos serviços e tornar mais produtivas as atividades da equipe, racionalizando as horas eventualmente pagas a mais a um ou outro profissional (veja ilustrações abaixo). "Ao dimensionar o serviço, organizando planilhas de escalas de serviço, o síndico percebe se é necessário mesmo pagar tanta mão de obra", diz Rosely.

Mas a administradora, atual subsíndica do condomínio em que mora, alerta que se houver interrupção do pagamento desses períodos a determinado funcionário, a medida terá que ser formalizada, pagando-se "indenização por supressão de hora extra". Quanto à escala de porteiros, uma boa solução tem sido a de cinco dias trabalhados por um de folga (5X1), aponta Rosely.

 

Matéria publicada na Edição 182 da Revista Direcional Condomínios.