Na organização do demonstrativo financeiro, o zelo com as contas do condomínio

Escrito por 

Em sistema de autogestão conduzido pelo síndico Rodolpho Ferreira Netto, o Colina Veredas prepara-se para nova pintura das fachadas de seus cinco prédios. A administração local desenvolveu expertise própria de controle orçamentário e possui 14 poupanças para as despesas sazonais e também benfeitorias.

Profissional aposentado da área financeira, segmento que chefiou durante anos na antiga Ultrafértil, o síndico Rodolpho Ferreira Netto implantou um detalhado sistema de controle mensal das contas do Condomínio Colina Veredas, localizado na Vila Mascote, zona Sul de São Paulo (Conheça mais detalhes na pág. 22). Ali, o sistema é de autogestão, implantado por Rodolpho em 2001. Mensalmente, quatro extensos volumes encadernados são apresentados a uma auditoria independente e, posteriormente, ao Conselho Fiscal. Eles também passam pelo escritório de contabilidade. Cada volume contém: o demonstrativo das receitas; das despesas (em duas peças); um balanço analítico; e um calhamaço dos lançamentos e extratos bancários.

É com esse nível de organização que o síndico diz conseguir fazer a frente às inúmeras despesas do condomínio, como manutenção de onze elevadores, pagamento de funcionários, execução de serviços diários de conservação local, água, energia etc. Na lista das obras futuras, entrará em pauta, para aprovação de assembleia extraordinária, a nova pintura da fachada, orçada em R$ 850 mil, dos quais 50% já estão reservados em conta própria. Graduado em Administração e Comércio Exterior, o síndico é remunerado e conta com duas assistentes administrativas. Ele próprio desenvolveu vários modelos de planilhas na plataforma Excel para monitorar com mais precisão as entradas e a saídas do caixa do empreendimento.

"Quando assumi, o fundo do condomínio estava zerado. Renegociamos contratos, implantamos a autogestão e instituímos a sistemática de controle mensal com quatro pastas" [transformados nos volumes encadernados], relata o síndico. Uma síntese disso é apresentada na emissão de cada boleto mensal. Já a previsão orçamentária anual é previamente encaminhada a todo condômino juntamente com a convocação da Assembleia Geral Ordinária (mesmo aos proprietários que residem fora do condomínio).

O Colina Veredas reúne cinco edifícios construídos em 1976 em uma área de quase 20 mil metros quadrados. Ele possui 405 unidades de dois e três dormitórios, amplo espaço social e de lazer (como piscina, quadras, pergolados etc.), além de um prédio separado onde ficam alguns de seus equipamentos (salão de festas, entre outros).

Este imóvel possui ainda 15 salas alugadas para prestadores de serviços, como salão de beleza, agência viagens, lanchonete, costureira e até uma padaria, que serve almoço. O valor arrecadado mensalmente dos locatários (cerca de R$ 15 mil) destina-se a uma das poupanças do condomínio (voltada a benfeitorias). A antiga casa do zelador, que fica no primeiro andar do prédio, deu lugar a uma escola de educação infantil (também locada).

O condomínio implantou três equipes de funcionários que se reveza em turnos de oito horas diárias, em cinco dias de trabalho corrido por um de folga. Cada grupo é liderado por um zelador. São, portanto, três zeladores comandando pouco mais de 30 colaboradores.

 

Matéria publicada na Edição 181 - jul/2013 da Revista Direcional Condomínios