Elevador: Visual novo traz conforto e bem-estar aos condôminos

Escrito por 

Síndica do Condomínio Edifício The Point há cinco anos, a administradora, ex-executiva e contabilista Rosa Braghin promoveu repaginação completa do empreendimento de 20 anos, localizado em ponto nobre do bairro de Moema, zona Sul de São Paulo. O objetivo é adequar o residencial de torre única e apartamentos de um dormitório ao padrão de sofisticação que vem tomando conta da região. Os elevadores (social e de serviços) não poderiam escapar à modernização. Ambos os veículos passaram por ampla reforma.

“Eles tinham paredes em fórmica, que substituímos por inox e espelho (no social). Mudamos o teto e rodapés. O piso foi desenhado para acompanhar o revestimento do hall externo social, instalamos ventiladores, nova iluminação, luz de emergência, interfone e câmeras. Modernizamos o painel das botoeiras. A área externa ganhou batente em granito, conforme o padrão dos pisos”, descreve Rosa Braghin. Também sofreram reparos a parte mecânica (cabos, polias e freios) e a casa de máquinas (com recuperação das paredes - reboco e pintura, e do piso).

Do ponto de vista técnico, falta resolver um pequeno problema de vazamento dos motores e, do estético, substituir as botoeiras, “que ainda não são em painel digital”. “O custo é muito alto”, argumenta a síndica. Mesmo possuindo o chamado contrato “prime” com sua conservadora, o condomínio precisa arcar com os itens relativos ao embelezamento, diz. Alguns acabamentos foram mantidos, como a parede antiga do elevador de serviços, em bom estado de conservação e “bem resistente”.

Mas a síndica ficou bem atenta à harmonização de todo o conjunto, providenciando, inclusive, a pintura das caixas de energia dos halls segundo a cor das portas dos elevadores. “A modernização estética precisa ser acompanhada pelo entorno”, acredita Rosa. Até mesmo o carrinho de compras que fica ao lado do hall dos elevadores na garagem acabou revitalizado, em conformidade com as portas. Durante o processo, Rosa conta que negociou diretamente com cada fornecedor, atendendo sempre aos parâmetros técnicos estabelecidos pela empresa de manutenção permanente.

Ela revela satisfação com o perfil atualizado do condomínio, onde os elevadores entram como parte importante e compõem um ambiente hoje dotado de moderna lavanderia, AVCB em renovação, piscina nova, solário reformado e lajes e coberturas impermeabilizadas. Também a fachada passou por restauração, através de pintura e cristalização.

MURAL DAS REFORMAS

CONDOMÍNIO THE POINT
No edifício localizado no bairro de Moema, até mesmo o revestimento do hall da garagem foi padronizado ao novo piso dos elevadores. O modelo foi concebido pela própria síndica, Rosa Braghin.

CONDOMÍNIO ELISABETTA CAPELANO

Tema da reportagem de capa desta edição, o edifício de 30 anos localizado na Vila Olímpia introduziu visual moderno e sofisticado nas cabinas e nas áreas externas dos elevadores.

 

MODERNIZAÇÃO ESTÉTICA SEM DÚVIDAS

Ao contratar a reforma acessória dos elevadores, é fundamental que os síndicos ponderem sobre a adequação dos novos componentes e os ajustes necessários, entre outras questões abordadas a seguir pelo diretor do Seciesp (Sindicato das Empresas de Conservação, Manutenção e Instalação de Elevadores do Estado de São Paulo), Max Santos.

INSTALAÇÃO DE NOVOS COMPONENTES VERSUS SOBREPESO

Dependendo das condições técnicas dos equipamentos, poderá ocorrer a necessidade de se fazer um balanceamento estático do conjunto de cabina e contrapeso dos elevadores, para reestabelecimento das condições normais da capacidade de passageiros que estes equipamentos foram projetados para transportar. Esta avaliação poderá ser feita pela empresa conservadora dos elevadores.

COM QUEM MODERNIZAR

Existem no mercado algumas empresas capacitadas para fazer o trabalho de modernização estética, que podem não ser as mantenedoras dos equipamentos. No entanto, principalmente quando as alterações ocorrerem do ponto de vista funcional dos equipamentos e alterarem suas condições elétricas e mecânicas, aconselha-se a consultar a empresa que faz a manutenção, pois esta é a responsável técnica pelos elevadores.

POSSO INSTALAR COMPONENTES DE OUTROS FABRICANTES?

Sim. O mercado apresenta componentes totalmente compatíveis com elevadores de qualquer marca. Mas é necessário executar o serviço com empresa habilitada e capacitada.

FABRICANTES DE ACESSÓRIOS ESTÉTICOS DEVEM TER REGISTRO NO SEGUR (PMSP)?

Não existe na legislação paulistana exigência de obtenção de registro de concessão do SEGUR para empresas que fabricam estes componentes.

COMO INTEGRAR AS MUDANÇAS DA CABINA AO AMBIENTE EXTERNO?

As questões estéticas proporcionam uma grande variedade de gostos e estilos. Alguns tendem a manter nos elevadores o mesmo padrão existente no hall e vice-versa. No entanto, isto não é uma regra única e inflexível, é uma questão de gosto pessoal.

SUBSTITUIÇÃO DAS PORTAS DE ABERTURA MANUAL PELAS AUTOMÁTICAS

Existe hoje tecnologia que permite a substituição das portas. No entanto, é necessário fazer uma análise técnica de cada caso, para ver se as instalações possuem espaço suficiente, principalmente na caixa de corrida dos equipamentos, para substituir as portas de pavimento de eixo vertical, por portas automáticas e simultâneas. Vale dizer que para novas instalações as portas de pavimento de eixo vertical não são permitidas. Todos os equipamentos novos já saem de fábrica com portas automáticas e simultâneas de abertura lateral ou central, dependendo de cada caso, que proporcionam muito mais segurança aos usuários.

FECHANDO OS CONTRATOS

Como em toda contratação, o cliente não deve se ater apenas a preços. É prudente checar as informações sobre a empresa através de consultas aos responsáveis de outras edificações que fizeram o trabalho, verificar as condições de legalidade e formalidade da mesma, observando, por exemplo, o cumprimento anterior de questões legais e fiscais.

Matéria publicada na edição - 190 de mai/2014 da Revista Direcional Condomínios