Áreas verdes e permeáveis: Atitudes sustentáveis nos condomínios

Escrito por

Segundo o arquiteto Luiz Laurent Bloch, a área livre permeável que cada imóvel da cidade de São Paulo deve respeitar varia por região, mas ela obrigatoriamente precisa atender a no mínimo de 15% do lote ocupado com vegetação. A proporção pode chegar a 30% ou mais, quando o local está caracterizado como Zona Especial de Proteção Ambiental. Luiz Bloch explica aos síndicos que a área permeável é aquela que "permite infiltração de água no solo, livre de qualquer edificação ou pavimentação impermeável", o que exclui, portanto, garagens e demais subsolos.

"As áreas verdes são importantes para a qualidade do ar, diminuição de ilhas de calor e outros atributos de melhoria do meio ambiente, contribuindo para diminuir enchentes via retenção e redução da velocidade das águas pluviais", observa o arquiteto.

Uma boa dica que ele deixa aos síndicos é instalar pisos drenantes homologados pelos órgãos técnicos brasileiros, os quais são aceitos pela Prefeitura como área permeável em uma proporção de 50% da superfície. "Por exemplo, em um estacionamento de mil metros quadrados revestido com piso drenante, 500 m² poderão ser considerados como área verde."

São Paulo, 12 de junho de 2013


Anuncie na Direcional Condomínios

Anuncie na Direcional Condomínios