Valorização Patrimonial: Ganhos no conforto, bem-estar e no mercado

Escrito por 

Manter em ordem o acabamento da fachada, das áreas de circulação, dos equipamentos e sistemas essenciais como elevadores, hidráulica, elétrica etc., contribui para a qualidade e a valorização de mercado do condomínio.

Quando o assunto é valorização patrimonial, o diretor de Estudos Especiais da Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio (Embraesp), Luiz Paulo Pompéia, indica alguns aspectos que costumam ser observados pelo mercado, tais como localização do bairro e proximidade a parques e clubes. Mas o especialista em mercado imobiliário destaca que um dos itens que mais pesa sobre essa valorização é a qualidade do empreendimento. Acabamento, circulação vertical, escadas, fachada, sistemas de telecomunicação, número de vagas nas garagens e sistema de segurança são algumas das questões levantadas por ele. "Quando esses serviços são bem elaborados, o condomínio se torna mais qualificado", diz.

A criação de espaços diferenciados dentro do edifício também é vista de forma positiva por Luiz Paulo. Segundo ele, o paulistano, em especial, gostou bastante da ideia de contar com serviços diversificados dentro do prédio onde mora. "Geralmente as pessoas da cidade demoram muito para chegar de um lugar a outro, por conta do trânsito. Por isso, a ideia do morador não sair para ir à academia ou aula de inglês é interessante", afirma.

Pensando dessa forma, quando foi eleito síndico do edifício Stella Solaris, localizado em Moema, zona Sul de São Paulo, o engenheiro Paulo Maccaferri fez uma vistoria completa na área comum do condomínio. Identificou os problemas que mais atingiam os moradores pela falta de manutenção, visitou todos os espaços, promoveu um balanço das administrações anteriores, checou as contas e conheceu melhor os funcionários. "Passei a conhecer todos os detalhes, para identificar, classificar e separar as prioridades", diz. "No condomínio, em especial, os moradores estavam ansiosos por melhorias e mudanças."

O resultado, até o momento, foi a readequação de áreas comuns como o playground e a quadra de esportes para crianças, além da revitalização das fachadas, do hall social e de serviço. Além disso, foi construída uma academia para atender ao conforto dos moradores. Essa é uma pequena parcela das mudanças realizadas no condomínio, e que contribuíram de maneira significativa para sua valorização, acredita o síndico.

Para os colegas síndicos que desejam investir, Paulo diz que é essencial compreender inicialmente as prioridades, e muitas vezes, a capacidade técnica para se avaliar isso deixa a desejar. Além disso, a falta de planejamento financeiro e eventual rejeição da mudança por parte dos condôminos podem prejudicar as ações. Dessa forma, Paulo afirma que o sucesso das mudanças para a valorização está ligado à adoção de um plano de manutenção, verificando-se os gastos e as prioridades que os moradores observam no condomínio. "Obter esse plano envolve conhecimento e também vontade de todos os moradores", afirma.

FACILITANDO A COMERCIALIZAÇÃO DOS IMÓVEIS

Síndica do Edifício Maresias Perdizes, na zona oeste de São Paulo, Ângela Merici Grzybowski realizou mudanças que fizeram toda a diferença na valorização dos apartamentos. Quando foi eleita, em 2006, ela prontamente convocou uma assembleia para decidir o que necessitava de tratamento. "Quando assumi, já se passavam quase dez anos sem que a fachada tivesse sido pintada. Então, ela ganhou na frente de todas as demais obras", conta. Após a fase de levantamento e escolha em assembleia da empresa que executaria os serviços, Ângela diz que estes foram planejados pensando-se no menor transtorno possível aos moradores, já que a garagem é descoberta. "Foram executados serviços como lavagem da fachada dos blocos, tratamento das trincas e fissuras, além da pintura".

A síndica diz que após as mudanças, o condomínio ficou mais valorizado. "No início de 2007, antes da pintura, os apartamentos custavam perto de R$ 120.000,00 e demoravam para ser vendidos; ao final de 2007, logo após a pintura, os preços subiram para R$ 180.000,00 e passaram a vender muito mais rápido", revela. Essa valorização foi acentuada, posteriormente, pelo salto nos preços do mercado imobiliário em São Paulo. Além disso, ressalta Ângela, "na questão conforto e bem-estar, todos os moradores concordam que é mais gostoso morar num condomínio bem cuidado".

Além da alteração na fachada, o edifício Maresias Perdizes conta com manutenção constante em todas as áreas. "Não basta tratar o edifício. É necessário olhar para os jardins e equipamentos, pois tudo tem sua participação na valorização do patrimônio", encerra.

Matéria publicada na Edição 172 - set/12 da Revista Direcional Condomínios.