Domingo, 12 Março 2017 00:00

Como separar corretamente os resíduos recicláveis

Escrito por 

Quando decidimos implantar a coleta seletiva no condomínio, uma dúvida surge: como devemos separar os resíduos recicláveis? É preciso ter um coletor para cada tipo de material ou pode colocar tudo junto?

A resposta para essas perguntas depende do que o condomínio busca. Se o objetivo é vender os resíduos recicláveis, a melhor opção é separar em diversos coletores, um para cada tipo de material: papel, plástico, metal e vidro. Porém, encontrar alguém que compre esses resíduos recicláveis não é tão fácil assim, pois cada material tem um valor no mercado, e alguns são tão baratos que não valem a pena para as cooperativas ou empresas comprarem.

Por outro lado, se o objetivo do condomínio é apenas destinar corretamente seus resíduos, a tarefa é mais fácil. Será necessário somente um coletor para os materiais recicláveis, como plástico, papel, metal e vidro. Não tem problema ir tudo misturado, na cooperativa será feita uma triagem minuciosa.

Alguns resíduos recicláveis merecem uma atenção especial, são eles: pilhas e baterias, eletrônicos, óleo de cozinha e lâmpadas fluorescentes.

- As pilhas e baterias podem ser armazenadas em uma caixa próxima ao coletor de resíduos recicláveis e depois levadas a um supermercado que as aceite, por exemplo. Também há a possibilidade de uma empresa retirá-las no condomínio, porém este serviço é pago;

- Os eletrônicos devem ser separados dos demais materiais recicláveis e, para sua destinação correta, você pode consultar uma cooperativa ou empresa que já retira os resíduos recicláveis e verificar se eles também trabalham com esse tipo de material. Pode verificar ainda se há campanha no seu bairro para coleta de eletrônicos ou contratar uma empresa que atua exclusivamente com esse tipo de resíduo; alguns desses materiais são comprados por empresas, mas sobre outros recai uma taxa para retirada;

- O óleo de cozinha deve ser armazenado em uma bombona e retirado por uma empresa específica para reciclagem de óleo, normalmente não se cobra por esse serviço;

- As lâmpadas fluorescentes são recicláveis, porém, por conter um pó químico em seu interior, é necessário ter um cuidado especial. A melhor opção é instruir para que cada morador destine sua lâmpada. Existem pontos de coleta em supermercados e lojas de materiais de construção. Não é aconselhável o condomínio dispor de um coletor, pois o armazenamento dessas lâmpadas tem algumas especificações para não haver contaminação.

Além dos resíduos recicláveis, o condomínio pode separar os resíduos orgânicos, que são os restos de alimentos, como cascas de frutas e vegetais. Este resíduo orgânico pode ser transformado em adubo através de composteiras, que podem ser implantadas no próprio condomínio.

Resumindo, o recomendável é ter um coletor para os resíduos recicláveis, um coletor para os resíduos não recicláveis, um para resíduos orgânicos, um pequeno para pilhas e baterias e uma bombona para coleta de óleo de cozinha.

Não reproduza o conteúdo sem autorização do Grupo Direcional. Este site está protegido pela Lei de Direitos Autorais. (Lei 9610 de 19/02/1998), sua reprodução total ou parcial é proibida nos termos da Lei.

Nathália Vegi Bohner

Engenheira Ambiental graduada pela Universidade Estadual Paulista (UNESP), pós-graduada em Sistemas de Gestão Integrados pelo Senac. É sócia da empresa ECOPRO Engenharia e Projetos Ltda. Com conhecimentos na área de Gestão de Resíduos Sólidos, já atuou em indústria multinacional e possui experiência em Educação Ambiental, incluindo treinamentos de condôminos, síndicos e funcionários. Atua também na área de Avaliação de Passivos Ambientais.
Mais informações: nathalia@ecoproengenharia.com.br