Segunda, 22 Maio 2017 00:00

Sustentabilidade e a relação do condomínio com o ambiente urbano

Escrito por 

O condomínio representa um conjunto de moradias e abriga diversas famílias, dessa maneira, ele é influente na vida de muitas pessoas.

É fácil perceber hoje que o ser humano deve buscar hábitos mais sustentáveis de maneira a garantir o bem-estar das gerações presentes e futuras. Portanto, o condomínio, por aglutinar tanta gente, deve buscar hábitos sustentáveis em sua gestão e incentivar que moradores e funcionários também os adotem.

A seguir, destacamos ações que o condomínio pode adotar de forma que o impacte positivamente, bem como ao meio ambiente e à sociedade como um todo.

Água

Implantar captação de água da chuva para utilizá-la para rega de jardins e lavagem de pisos surge como importante ação. A captação de água das lavadoras de roupas é uma opção também, porém o gestor precisa atentar-se para o tratamento adequado aos tipos de água captada e seu uso. Mais uma opção para reduzir o consumo de água potável é reaproveitar a água do ar-condicionado.

Alguns condomínios estão ainda colocando uma garrafa PET dentro da caixa de armazenamento de água para a descarga no vaso sanitário, dessa maneira é possível economizar o volume acionado sem diminuir a pressão e sem ter que fazer a troca por equipamentos mais econômicos. Se preferir a substituição do equipamento, opte por modelos de acionamento duplo (3 litros para dejetos líquidos e 6 litros para sólidos).

Nos jardins é possível implantar um sistema de irrigação por gotejamento, assim a área verde estará sempre saudável e não haverá desperdício de água como ocorre na rega com mangueira.

Para as torneiras, pode-se instalar um redutor de vazão e arejadores, que diminuem o fluxo da água, mas mantém a sensação de volume. Além de implantar nas torneiras do condomínio, é importante incentivar que os moradores também adotem essas soluções em suas torneiras.

Implantar o sistema de leitura individualizada da conta de água funciona também como um grande estímulo para os moradores economizarem, pois, muitos condomínios têm esse valor embutido no rateio mensal, sem que os moradores percebam o quanto estão gastando de água. A conta individual fará com que os moradores saibam quanto consomem e economizem.

Realizar a manutenção preventiva do sistema de encanamento para evitar/identificar vazamentos é outra medida que colabora para a economia de água. Deve-se, também, incentivar o morador a identificar vazamentos e notificar. Outra dica é investir em cursos para os funcionários, em reuniões e em alertas sobre o assunto.

Finalmente, para os condomínios que têm lava-rápido para carros, recomenda-se adotar uma lavagem ecológica. Existem diversos produtos no mercado que demandam apenas o equivalente a um copo d'água para lavar o veículo.

Energia

Para ambientes que não precisam ser iluminados o tempo inteiro, pode-se instalar sensores de movimento ou interruptores que os próprios usuários ligam e desligam, afim de evitar desperdícios. A vantagem do sensor de movimento sobre o interruptor é que ele desligará sozinho se não houver mais ninguém no local. No caso do interruptor, o usuário poderá esquecer de desligá-lo. A desvantagem do sensor de movimento fica para os de grande circulação de pessoas, já que o acende e apaga contínuo poderá reduzir a vida útil da lâmpada.

Os gestores podem ainda:

- Cuidar de que se mantenha deligada a luz artificial quando a natural for suficiente para iluminar o ambiente. Janelas e portas grandes aumentam a iluminação natural e ajudam a economizar energia;

- Realizar manutenção periódica em luminárias e evitar, assim, que a poeira se acumule, o que pode causar a redução da intensidade do fluxo luminoso;

- Pintar os ambientes de cores claras, que absorvem menos luz, portanto, dão mais eficiência à iluminação que incide no ambiente. Utilizar mobiliários e pintar as paredes com cores claras é uma possibilidade.

A implantação de sistemas de captação da energia solar é uma boa opção para gerar sua própria fonte, sendo esta uma energia limpa e boa alternativa para se economizar na conta mensal paga à concessionária pública. Seu custo de instalação é alto e não são todos os condomínios que conseguirão arcar com esses gastos, mas o retorno do investimento é garantido.

Podemos pensar também em eficiência energética, ou seja, fazer ajustes para que haja o uso mais eficiente da energia, por exemplo, trocar as lâmpadas incandescentes ou fluorescente por lâmpadas de LED. Como o valor da lâmpada LED é alto, a melhor opção é trocar somente quando uma lâmpada queima. Também se deve observar onde ocorre o maior consumo de energia e pensar em uma maneira de reduzí-lo, por exemplo, durante a madrugada não são necessários todos os elevadores ligados, já que o fluxo de pessoas não é grande.

Resíduos & Coleta Seletiva

Implantar a coleta seletiva é importante para garantir a destinação correta dos resíduos que são gerados no condomínio e pelos moradores. Além da separação dos materiais recicláveis, deve-se separar outros materiais como: óleo de cozinha, pilhas e baterias, eletrônicos, lâmpadas e remédios, todos esses resíduos merecem uma atenção especial para ter sua destinação correta e não poluir o meio ambiente.

E ao implantar a coleta seletiva, lembre-se de dispor sempre um par de lixeiras em todos os ambientes comuns do condomínio, uma para resíduos recicláveis e outra para não recicláveis. Apenas nos sanitários não são necessárias as lixeiras de recicláveis.

O resíduo orgânico (restos de alimentos) é outro tipo de "lixo" que pode ser reaproveitado no próprio condomínio, através da compostagem. Esta técnica transforma o resíduo orgânico em adubo, o qual pode ser utilizado no jardim do condomínio. Caso não haja espaço, é possível incentivar os moradores a adquirirem uma composteira doméstica. E, ao contrário do que muitos pensam, a compostagem não gera mau cheiro.

Educação ambiental

A educação ambiental é muito importante para o condomínio ser sustentável. Todas as ações tomadas devem ser comunicadas aos moradores, a fim de incentivá-los a adotar as práticas em suas casas e também mostrar que o condomínio está interessado em investir em sustentabilidade, o que reflete diretamente na qualidade de vida de todos.

A educação ambiental pode ser realizada através de informativos nos elevadores, distribuição de material como folders, reuniões, atividades de recreação com crianças, treinamentos.

Alguns assuntos que podem ser abordados são: como economizar água e energia em casa, como separar os materiais recicláveis, como escolher um produto que cause menos impacto ambiental. Em nossos artigos anteriores, deixamos várias dicas aos condôminos e gestores sobre como proceder em cada situação.

Não reproduza o conteúdo sem autorização do Grupo Direcional. Este site está protegido pela Lei de Direitos Autorais. (Lei 9610 de 19/02/1998), sua reprodução total ou parcial é proibida nos termos da Lei.

Nathália Vegi Bohner

Engenheira Ambiental graduada pela Universidade Estadual Paulista (UNESP), pós-graduada em Sistemas de Gestão Integrados pelo Senac. É sócia da empresa ECOPRO Engenharia e Projetos Ltda. Com conhecimentos na área de Gestão de Resíduos Sólidos, já atuou em indústria multinacional e possui experiência em Educação Ambiental, incluindo treinamentos de condôminos, síndicos e funcionários. Atua também na área de Avaliação de Passivos Ambientais.
Mais informações: nathalia@ecoproengenharia.com.br